HELLEN CRISTINA CAVALCANTE AMORIM POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA: ESTUDO DE CASO DO CURSO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DO PARFOR DA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

  PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS ESCOLA DE FORMAđấO DE PROFESSORES E HUMANIDADES

  PRố-REITORIA DE PốS-GRADUAđấO E PESQUISA PROGRAMA DE PốS-GRADUAđấO STRICTO SENSU

  DOUTORADO EM EDUCAđấO HELLEN CRISTINA CAVALCANTE AMORIM

  

POLễTICAS DE FORMAđấO DE PROFESSORES DA EDUCAđấO BÁSICA:

ESTUDO DE CASO DO CURSO DE FORMAđấO PEDAGốGICA DO PARFOR DA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

  HELLEN CRISTINA CAVALCANTE AMORIM

  

POLễTICAS DE FORMAđấO DE PROFESSORES DA EDUCAđấO BÁSICA:

ESTUDO DE CASO DO CURSO DE FORMAđấO PEDAGốGICA DO PARFOR DA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

  Tese de doutoramento apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, para exame de defesa, como requisito parcial para a obtenção do título de doutora em Educação.

  Linha de pesquisa: Estado, Políticas e Instituições Educacionais. Orientadora: Profa. Dra. Iria Brzezinski. A524p Amorim, Hellen Cristina Cavalcante Políticas de formação de professores da Educação Básica: estudo de caso do curso de formação pedagógica do PARFOR da Universidade Tecnológica Federal do Paraná [manuscrito] / Hellen Cristina Cavalcante Amorim.-- Goiânia 2018.

  169 f.; 30 cm Texto em português com resumo em inglês. Tese (Doutorado) - Universidade Católica de Goiás, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação, Goiânia, 2018 Inclui referências, f. 160-169

  1. Professores - Formação - Curitiba (PR). 2. Professores - Formação - formação pedagógica. I.Brzezinski, Iria.

  II.Universidade Católica de Goiás. III. Título.

  

AGRADECIMENTOS

  Agradeço a Deus, pelo favor imerecido de ter força, proteção e ajuda física e mental para alcançar a titulação de doutora. Ao IFB, por oportunizar-me a ter maior dedicação na elaboração da tese. À UTFPR, reitoria, direção, coordenação e professores, principalmente aos participantes desta pesquisa. Aos professores da PUC-GO e às bancas examinadoras. À orientadora, Dra. Iria Brzezinski, pelo acompanhamento. Aos meus familiares, pela disponibilidade de recursos e pelo incentivo de todas as formas nessa árdua formação. Aos colegas do doutoramento, aos amigos e a todos os envolvidos na construção da tese.

  

RESUMO

  Esta tese tem como tema o Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor). O campo empírico compreende o curso de Formação Pedagógica do Parfor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), campus Curitiba. O problema de pesquisa foi assim enunciado: Qual é o significado do curso de Formação Pedagógica do Parfor da UTFPR para os professores cursistas atuantes na educação básica? O objetivo geral é analisar os significados do curso de Formação Pedagógica do Parfor atribuídos pelos cursistas da UTFPR. Os objetivos específicos consistem em sistematizar o arcabouço legal das políticas de formação de professores no Brasil; explicitar as políticas de formação de professores da educação básica, em nível secundário e superior com destaque na formação pedagógica; identificar a organização da formação do professor das escolas primárias em nível secundário e a das escolas secundárias em nível superior e analisar a importância do Parfor na formação de professores. Os eixos orientadores do referencial teórico são as políticas de formação de professores no ensino médio e no nível superior para atuação na educação básica e a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, fomentada pela Capes e instituída pelo Decreto 6.755/2009 e seus desdobramentos. O estudo revisita à história das políticas de formação de professores, apresentando-a a partir da educação jesuítica e da Lei de 15 de outubro de 1827, por ser essa considerada o ponto de partida para que o Estado assumisse o ensino público e gratuito, como um direito do cidadão brasileiro. Ao contextualizar os aspectos históricos e políticos dos programas de formação de professores, reconhece-se que o Parfor, desde 2009, é viabilizador desse processo formativo, sendo parte do desenvolvimento dos planos estratégicos, com o objetivo de melhorar a qualidade da educação básica. A investigação orienta-se pelo materialismo histórico dialético. A pesquisa é de abordagem qualitativa, com um estudo de caso, tendo como procedimentos metodológicos a análise documental, de questionário, de entrevista com a Coordenadora do curso e das reflexões feitas em grupo de discussão. Os sujeitos de pesquisa são 13 professores cursistas em formação na UTFPR e a Coordenadora do curso. As categorias de análise do material empírico mostram o perfil dos professores cursistas; os motivos da busca pela Formação Pedagógica; as dificuldades enfrentadas no desenvolvimento do curso e o seu significado na formação e na atuação do cursista na sala de aula. Como resultado, nota-se o avanço no desenvolvimento dessas políticas emergenciais de formação de professores para qualificar o docente que atua na educação básica, em atendimento à legislação vigente, enfatizando a importância da formação pedagógica para os professores.

  

Palavras-chave: Curso de Formação Pedagógica da UTFPR. Formação de

professores da educação básica em nível secundário e superior. Parfor.

  

ABSTRACT

This thesis has as its theme the National Training Plan for Basic Education Teachers

(Parfor). The empirical field includes the Parfor Pedagogical Training course of the

Federal Technological University of Paraná (UTFPR), campus Curitiba. The research

problem was thus stated: What is the meaning of the Parfor Training Course of the

Parfor of the UTFPR for the cursist teachers acting in basic education? The general

objective is to analyze the meanings of the Parfor Pedagogical Training course

assigned by the UTFPR students. The specific objectives are to systematize the legal

framework of teacher education policies in Brazil; to explain the policies of teacher

education in basic education, at secondary and higher level, with emphasis on

pedagogical training; identify the organization of teacher training in primary schools at

the secondary level and that of upper secondary schools and to analyze the importance

of Parfor in teacher training. The guiding axes of the theoretical framework are the

training policies of teachers in secondary and higher education for action in basic

education and the National Policy for the Training of Professionals of the Magisterium

of Basic Education, fomented by Capes and instituted by Decree 6,755/2009 and their

unfolding. The study revisits the history of teacher education policies, presenting it from

the Jesuit education and the Law of October 15, 1827, since it is considered the starting

point for the State to assume public and free education, as a right of the Brazilian

citizen. In contextualizing the historical and political aspects of teacher training

programs, Parfor recognizes that since 2009, this training process is feasible and part

of the development of the strategic plans, with the objective of improving the quality of

basic education. Research is guided by dialectical historical materialism. The research

is a qualitative approach, with a case study, having as methodological procedures

documentary analysis, questionnaire, interview with the Course Coordinator and the

reflections made in a discussion group. The research subjects are 13 professors in

training at UTFPR and the Coordinator of the course. The categories of analysis of the

empirical material show the profile of the cursist teachers; the reasons for the search

for Pedagogical Training; the difficulties faced in the development of the course and its

significance in the training and acting of the cursist in the classroom. As a result, we

note the progress in the development of these emergency teacher education policies

to qualify teachers who work in basic education, in compliance with current legislation,

emphasizing the importance of pedagogical training for teachers.

  Keywords: Parfor. Training of teachers of basic education at secondary and higher level. UTFPR Pedagogical Training Course.

  ABE - Associação Nacional de Educação ACT - Acordo de Cooperação Técnica ANFOPE - Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior CFE - Conselho Federal de Educação CEFETPR - Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná CNE - Conselho Nacional de Educação CONAE - Conferência Nacional da Educação CST - Curso Superior de Tecnologia DEB - Educação Básica Presencial DED - Diretoria de Educação a Distância DEP - Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica EC - Emenda Constitucional ENS - Escolas Normais Superiores FEPAD - Fórum Estadual Permanente de Formação e de Valorização do Magistério FNE - Fórum Nacional de Educação FMI - Fundo Monetário Internacional FUNDEB - Fundo de Manutenção do Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização do Magistério FUNDEF - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério HEM - Habilitação Específica de Professores do Magistério

  IEG - Instituto de Educação de Goiás

  IES - Instituições de Educação Superior

  IF - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

  IFB - Instituto Federal de Brasília

  IFT - Instituto Federal de Brasília

  INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

  IPES - Instituições Públicas de Educação Superior

  MDE - Manutenção e Desenvolvimento do Ensino NGP - Nova Gestão Pública MRE - Ministério das Relações Exteriores PARFOR - Plano Nacional de Formação de Professores PC - Professor Cursista PDE - Programa de Desenvolvimento Educacional PIB - Produto Interno Bruto PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência PNE - Plano Nacional de Educação PPC - Projeto Pedagógico de Curso PPP - Projeto Político Pedagógico PRODOCÊNCIA - Programa de Consolidação das Licenciaturas PROFOP - Programa Especial de Formação Pedagógica PSPN - Piso Salarial Profissional Nacional PSS - Processo Seletivo Simplificado SNE - Sistema Nacional de Educação TIC - Tecnologia de Informação e Comunicação UDF - Universidade do Distrito Federal UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná UVA - Universidade Aberta do Brasil

  

LISTA DE QUADROS

Quadro 1 - Categorias de formação e atuação de professores ................................ 66

Quadro 2 - Carga horária da Formação Pedagógica do Parfor .............................. 105

Quadro 3 - Aproximações e distanciamentos: decretos 6.755/2009 e 8.752/2016 . 113

Quadro 4 - Dados numéricos do Parfor, desde seu lançamento, em 2009 ............118

  

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 - Evolução histórica da UTFPR .......................................................................... 35

Figura 2 - Retrospectiva histórica da formação de professores no Brasil ................. 65

  LISTA DE TABELAS

Tabela 1 - Perfil dos professores cursistas ............................................................. 126

Tabela 2 - Motivos para realizar o curso de Formação Pedagógica da UTFPR ..... 137

Tabela 3 - Dificuldades na realização do curso ....................................................... 141

Tabela 4 - Contribuição da Formação Pedagógica da UTFPR ............................... 150

Tabela 5 - Avaliação do curso de Formação Pedagógica da UTFPR ..................... 151

  LISTA DE GRÁFICOS

Gráfico 1 - Graduação antes do curso de Formação Pedagógica da UTFPR ........ 130

Gráfico 2 - Forma de admissão na rede pública de ensino paranaense ................ 131

Gráfico 3 - Manutenção do emprego na escola, desde o ingresso no curso .......... 132

Gráfico 4 - Jornada de trabalho semanal dos cursistas ......................................... 134

Gráfico 5 - Remuneração, conforme Lei do Piso Salarial: R$ 2.298,00/2017 ........ 135

  

SUMÁRIO

  INTRODUđấO .......................................................................................................... 16 CAPÍTULO 1 - MÉTODO E PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS NA PESQUISA .................................................................................................................................. 21

  1.1 Materialismo Histórico-Dialético: Princípios da Pesquisa .................... 23

  1.2 Procedimentos Metodológicos e Instrumentos ..................................... 28

  1.3 Campo Empírico: Desenvolvimento do Curso de Formação Pedagógica da UTFPR ........................................................................................................ 34

  CAPễTULO 2 - POLễTICAS DE FORMAđấO DE PROFESSORES EM NễVEL SECUNDÁRIO E SUPERIOR ................................................................................... 38

  2.1 Do Período Jesuítico às Escolas de Primeiras Letras .......................... 40

  2.2 Escolas Normais e suas Transformações na Formação de Professores do Ensino Primário em Nível Secundário ..................................................... 48

  2.3 Institutos de Educação: Formação de Professores do Ensino Primário em Nível Superior ........................................................................................... 55

  2.4 Surgimento das Universidades e Faculdades de Educação: Lócus de Formação de Professores do Ensino Primário e Secundário ..................... 60

  2.5 A Trajetória de Formação de Professores: Destaques da Primeira LDB .................................................................................................................. 63

  

2.6 A Reforma Universitária e o Funcionamento do Curso de

Pedagogia. ............................................................................................................... 68

  CAPễTULO 3 - PLANO NACIONAL DE FORMAđấO DE PROFESSORES DA EDUCAđấO BÁSICA ............................................................................................... 72

  3.1 Marco na Formação de Professores: LDB n. 9.394/1996 ....................... 73

  3.1.1 Recursos Públicos para a Formação e Valorização de Professores ... 77

  3.2 As Políticas Públicas de Formação de Professores no Contexto do Neoliberalismo ............................................................................................... 81

  

3.5 Decretos 6.755/2009 e 8.752/2016: Aproximações e Afastamentos .... 108

  CAPễTULO 4 - SIGNIFICADOS DA FORMAđấO PEDAGốGIGA .......................... 117

  4.1 A Importância da Formação Pedagógica para a Carreira Docente ..... 119

  4.2 Significados da Formação Pedagógica para a Docência .................... 124

  4.2.1 Categoria 1: Perfil dos Cursistas ...................................................... 125

  4.2.2 Categoria 2: Motivos da Busca pela Formação Pedagógica ............. 136

  4.2.3 Categoria 3: Dificuldades no Desenvolvimento do Curso ................ 140

  4.2.4 Categoria 4: Significados da Formação Pedagógica ......................... 144 CONSIDERAđỏES FINAIS .................................................................................... 157 REFERÊNCIAS ....................................................................................................... 160 APÊNDICES ............................................................................................................ 170 ANEXOS ................................................................................................................. 174

  INTRODUđấO Esta tese trata do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação

  Básica (Parfor), instituído mediante a Portaria 09, de 30 de junho de 2009, do Ministério da Educação (MEC). Esse Plano tem por objetivo oferecer cursos e programas especiais de caráter emergencial, para assegurar a formação específica a professores em serviço da educação básica. Foi criado para a formação de professores, frente à existência de um significativo percentual de docentes que atuam nas escolas públicas brasileiras sem a formação requerida por lei, apresentando a pesquisa realizada na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) no curso de Formação Pedagógica do Parfor que advém dessa política pública de formação de professores que pretende qualificar os que já trabalham em sala de aula.

  O Parfor faz parte da Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, estabelecida pelo Decreto 6.755, de 29 de janeiro de 2009, com a finalidade de organizar a formação dos professores das redes públicas da educação básica. Surgiu como uma política conjunta, viabilizada com a participação dos sujeitos envolvidos pelo regime de colaboração. Os entes federados foram incumbidos de participar e elaborar estratégias de superação da distorção existente entre a formação dos profissionais e a exigência legal para a atuação docente nas escolas, efetivando essa política.

  O tema desta tese foi escolhido pela experiência profissional e pelo comprometimento que a pesquisadora tem em relação à formação de professores. A pesquisa surgiu com a história da pesquisadora, como Coordenadora Geral de Graduação do Instituto Federal de Brasília (IFB) e do Parfor do IFB, bem como membro do Fórum Estadual Permanente de Apoio à Formação Docente do Distrito Federal. Essa experiência profissional a instigou a desenvolver o estudo que tem por objeto o curso de Formação Pedagógica da UTFPR, do campus Curitiba, por ser bem conceituada em cursos de formação de professores.

  A pesquisa é de abordagem qualitativa, considerada como um estudo de caso, e tem como procedimentos metodológicos a análise documental, o uso de questionário com os cursistas, a entrevista com a Coordenadora do curso e as

  O problema da pesquisa é qual o significado do curso de Formação Pedagógica do Parfor da UTFPR para os professores atuantes na educação básica? A investigação orienta-se pelo materialismo histórico dialético, compreendendo que o real é fruto das ações humanas, sendo as políticas de formação de professores resultado da atuação de sujeitos históricos em uma sociedade.

  O objetivo geral consiste em analisar os significados do curso de Formação Pedagógica do Parfor atribuídos pelos cursistas da UTFPR. Os objetivos específicos são sistematizar o arcabouço legal das políticas de formação de professores no Brasil; explicitar as políticas da educação básica de formação de professores em nível secundário e superior, com destaque na formação pedagógica; identificar a organização da formação do professor das escolas primárias em nível secundário e a do professor das escolas secundárias em nível superior e analisar a importância do Parfor na formação de professores. O curso estudado integra o Programa Especial de Formação Pedagógica da UTFPR que é normatizado por uma legislação interna: Resolução 72 - COGEP, de 07 de dezembro de 2012.

  A fundamentação teórica desta pesquisa é constituída por fontes documentais, livros, teses, legislações, entre outros, que tratam sobre as políticas de formação de professores da educação básica. Os eixos dos referenciais são as políticas de formação de professores em nível secundário e em nível superior. Aborda-se uma retrospectiva histórica desde o processo de formação do período colonial até os dias atuais, tendo como marco a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, tratando da formação de professores. Nela, estabelecem-se as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

  A Lei 9.394/1996 determina que a formação do professor para o exercício do magistério na educação básica “[...] far-se-á em nível superior em curso de licenciatura plena, admitida, como formação mínima para atuação na educação infantil e cinco primeiros anos do ensino fundamental, a oferecida em nível médio, na modalidade normal” (BRASIL, 1996). Essa redação do art. 62 da LDB foi dada pela Lei 13.415, de 16 de fevereiro de 2017.

  Por meio do art. 87 da LDB/1996 foi instituída a Década da Educação, iniciada em 1997. Essa Década consistiu um marco legal para a formação de professores no Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado pela Lei 10.172, de 9 de janeiro de 2001, c om diretrizes e metas para os dez anos seguintes.

  U ma das metas desse PNE foi identificar os professores leigos em exercício e

  organizar cursos de formação, possibilitando a eles a adequação à exigência da LDB/1996. O professor leigo é aquele sujeito que não tem qualificação pedagógica para exercício em magistério na educação básica: o professor que atua sem a formação mínima de nível médio, com a habilitação em magistério e o professor graduado sem a licenciatura. Para atender a essa qualificação como direito desse professor, uma das estratégias tomadas foi a instituição da Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica e do Plano Nacional de Formação de Professores (Parfor), em 2009. É uma política que busca a valorização do profissional do magistério.

  O Parfor faz parte dessa política para atender as necessidades de formação dos professores atuantes na educação básica sem curso superior, oferecendo três cursos: Primeira Licenciatura, Segunda Licenciatura e o curso de Formação Pedagógica. Esse último se destina aos atuantes nas escolas públicas de educação básica, sem a formação inicial em cursos de licenciatura na área em que atuam. São professores bacharéis ou tecnólogos, considerados leigos que precisam de qualificação, conforme as exigências legais de formação de professores.

  Na atualidade, o projeto formativo do Parfor está previsto no art. 1º do Decreto 8.752/2016, que dispõe sobre os princípios e os objetivos dessa política. Dentre eles, pode-se destacar a articulação entre a teoria e a prática no processo de formação docente, pois é um curso desenvolvido para professores que já atuam em sala de aula, embora sejam leigos.

  Os eixos orientadores são as políticas de formação de professores em nível secundário e superior para atuação na educação básica e a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, com seus desdobramentos, fomentada pela Capes, instituída pelo Decreto 6.755/2009. Os autores destaques são Vicentini e Lugli (2009), Castanha (2007; 2008; 2012), Tanuri (2000) e Saviani (2007; 2009; 2010), entre outros. As políticas de formação de professores em nível superior estão abordadas por Brzezinski (1987; 1996; 2007; curriculares nacionais de formação de professores, com análise de leis, resoluções, decretos são analisados a partir dos autores Araújo (2016), Abdalla, Maimone e Moreira (2013), Mororó (2011; 2017) e Dourado (2010), e outros. A significação da formação pedagógica no exercício do magistério da educação básica é observada com Ferreira (2014), Gatti, Barretto e André (2011), Imbernón (2011), entre outros.

  No primeiro capítulo, abrangem-se a apresentação e a discussão do método e dos procedimentos metodológicos e a caracterização da UTFPR na implementação do curso de Formação Pedagógica da Instituição. Pelo método, nota-se que o materialismo histórico dialético evidencia o participante como ser histórico inserido no meio concreto da formação. A abordagem desenvolvida na pesquisa destaca os conceitos, as experiências, os discursos da práxis e a importância do professor ser responsável por suas ações, com vista a aperfeiçoar a sua prática.

  No segundo capítulo, traz-se a sistematização do arcabouço legal da formação docente, a partir da educação jesuítica. A Lei de 15 de outubro de 1827 foi a iniciativa do Estado se responsabilizar pelo ensino público, antes regido pela Igreja Católica. Com as escolas de primeiras letras e a importância das escolas normais, a formação dos professores em nível secundário possibilitava a atuação no ensino primário. É identificada a organização formativa introduzida por políticas de formação de professores primários em nível secundário e de professor secundário em nível superior, dando destaque para a importância da formação pedagógica. A história processa os acontecimentos formativos dos institutos, das faculdades de educação e das reformas nas políticas educacionais em nível superior. A trajetória abrange o surgimento das universidades, passando pela LDB n. 4.024, de 20 de dezembro de 1961, até a LDB/1996, considerada um marco na contemporaneidade de formação do professor.

  No terceiro capítulo, identificam-se os objetivos da Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério e do Parfor em melhorar a qualidade e a valorização dos profissionais atuantes na educação básica. Caracteriza o Parfor como um plano emergencial de formação inicial, destacando como ele se operacionaliza em regime de colaboração entre União, estados, Distrito Federal e municípios, para que haja a efetivação do programa nas instituições formadoras de professores em nível estabelecidas para esses cursos, a LDB/1996 e a influência do contexto neoliberal na formulação de políticas públicas de formação de professores.

  No último capítulo, analisa-se a importância da Formação Pedagógica no processo formativo. São apresentados os resultados, as análises dos dados coletados e as inferências acerca das experiências dos sujeitos participantes. Por meio da categorização do perfil desses profissionais, revelam-se os motivos que os levaram a buscar a Formação Pedagógica do Parfor, as dificuldades encontradas no desenvolvimento do curso e o significado do curso na formação e na atuação do professor cursista na sala de aula. Observam-se os aspectos como carga horária de trabalho, processo de seleção para atuar nas escolas públicas da rede de ensino do estado, questão salarial no atendimento ao piso salarial estabelecido nacionalmente, ou seja, aspectos relativos à valorização do professor e de sua profissão.

  Assim, a investigação desta tese apresenta a Formação da UTFPR, no campus de Curitiba, por meio da participação dos professores que expuseram os significados do curso. A atuação em sala de aula levou os cursistas a perceber a necessidade de se qualificarem conforme a lei. A relevância do curso de Formação Pedagógica incide nos procedimentos relatados em documentos e nas análises das experiências dos participantes da pesquisa. CAPÍTULO 1 - MÉTODO E PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Pretende-se, neste capítulo, discutir acerca do método, destacando os procedimentos metodológicos de abordagem qualitativa, na modalidade de estudo de caso. No desenvolvimento deste estudo, as abordagens qualitativa e quantitativa se articulam, visando ao real redimensionamento do problema investigado, com sustentação no método materialista histórico dialético, ancoradouro de apontamentos críticos da realidade. Trata-se de uma pesquisa que adota o método materialismo histórico dialético nas etapas vencidas de forma sistemática na busca do real, traduzindo a forma por meio da qual a pesquisa obtém seus resultados.

  Para articular as etapas da investigação, Chizzotti (2001, p. 69) explica que algumas pesquisas qualitativas não descartam a coleta de dados quantitativos. Para se analisar dados de pesquisa, supõe a sua quantificação para submetê-los à classificação, à mensuração e à análise. Essa análise estatística amplia as possibilidades de “[...] correlação, comparação e análise dos dados”. O autor também esclarece pontos relevantes sobre a abordagem qualitativa para a percepção da relação dinâmica que há entre o mundo real e o sujeito, que o interpreta, atribuindo significado, pois “[...] o objeto não é um dado inerte e neutro; está possuído de significados e relações que sujeitos concretos criam em suas ações” (CHIZZOTTI, 2001, p. 79).

  Os sujeitos da pesquisa foram 13 professores cursistas e a Coordenadora do curso de Formação Pedagógica do Parfor da UTFPR, do campus Curitiba. Os matriculados no curso eram 14 professores, mas desse universo, 13 aceitaram participar da pesquisa e responderam ao questionário. Dos 13, somente 10 estavam presentes no grupo de discussão e três responderam à pergunta sobre o estágio supervisionado.

  O problema sobre a relevância da formação pedagógica na formação de professores é abordado empiricamente. Os procedimentos metodológicos de coleta de dados foram a) análise documental; b) questionário; c) grupo de discussão; d) entrevista com a Coordenadora do curso; e) encaminhamento de pergunta sobre o estágio supervisionado por e-mail aos cursistas. Desse modo, a abordagem é sobre

  A pesquisa documental foi feita mediante análise que dimensiona o campo empírico, como o Regulamento do Programa de Formação Pedagógica Profop/Parfor da UTFPR, a Resolução 72/12-COGEP, de 07 de dezembro de 2012, que se assemelha a um Projeto Pedagógico de Curso (PPC), identificado pela Instituição como o PPC do curso emergencial de Formação Pedagógica. Também, destaca-se que os dados foram obtidos por meio da aplicação do questionário aos cursistas (anexo 1), respondido individualmente por eles; da entrevista com a Coordenadora do curso e do grupo de discussão com os professores cursistas e a Coordenadora do curso.

  Por ser uma formação vinculada ao Parfor, o curso é destinado aos docentes que estão trabalhando na rede pública no momento da inscrição e que buscam a qualificação pedagógica para se adequarem ao prescrito na legislação nacional. De acordo com a proposta de formação docente do Paraná, o Fórum Estadual Permanente de Apoio à Formação Docente do Paraná tem a incumbência de autorizar a abertura de cursos que fazem parte do Parfor em universidades do estado, como é esse estudo de caso.

  Adota-se o método materialismo histórico dialético, pela visão de que a dialética é uma possibilidade para o sujeito pesquisador observar a realidade, analisar e construir categorias de abstração do que se vê do concreto, como um agente histórico que se insere nesse meio real, no qual “[...] dá-se e revela-se na e pela práxis. A lógica dialética caracteriza-se, pela construção de categorias saturadas de concreto” (SAVIANI, 2007, p. 5). Essa práxis pode ser vista na formação de professores focalizada na dimensão pedagógica que busca analisar o trabalho desses profissionais que exercem sua função cotidianamente em salas de aula, mesmo sem terem a formação condizente com sua atuação. Os professores cursistas desta pesquisa esperam um aprimoramento na sua formação, com qualidade social do seu trabalho de lecionar.

  Essa percepção sobre os sujeitos desta investigação permite a análise da estrutura e dinâmica do objeto, na sua existência real, conforme o método materialismo histórico dialético que envolve uma construção do conhecimento teórico em relação ao que se observa e compreende do objeto. Por esse método, observa-se próximos itens, serão apresentados aspectos desse método e os procedimentos metodológicos da pesquisa de campo.

  Ao discutir o método, o pesquisador se põe frente ao objeto de estudo para entender as possibilidades de análise e estabelecer relações entre a fundamentação teórica e a realidade. A intenção é de apresentar os resultados que podem contribuir com as futuras pesquisas e a ressignificação de si mesmo, na condição de sujeito envolvido no processo de construção do conhecimento. Desse modo, o método é tratado como base para a interpretação da realidade, tendo a percepção da visão de mundo e práxis. Conforme esclarece Pires (1997, p. 86), a descrição do conceito de práxis para Marx é entendida “[...] como prática articulada à teoria, prática desenvolvida com e através de abstrações do pensamento, como busca de compreensão mais consistente e conseqüente da atividade prática - é prática eivada de teoria”.

  Nessa percepção, adentra-se na investigação para apreender o objeto e alcançar os objetivos, de forma científica, enfatizando o método que, conforme Marconi e Lakatos (2003, p. 83), “[...] é o conjunto das atividades sistemáticas e racionais que, com maior segurança e economia, permite alcançar o objeto – conhecimentos válidos e verdadeiros – traçando o caminho a ser seguido, detectando erros e auxiliando as decisões do cientista”.

  Com o intuito de diferenciar método, técnica e instrumentos, concorda-se com Ramos e Naranjo (2014) que afirmam que o método consiste na organização interna de sucessivos procedimentos que envolvem diversas técnicas. A técnica tem o objetivo de permitir a validade, sendo que o método e a técnica formam uma unidade dialética. Nesse processo dialético, Frigotto (1999, p. 73) assegura que o materialismo histórico dialético deve ser entendido como

  [...] uma postura, ou concepção de mundo; enquanto um método que permite uma apreensão radical (que vai à raiz) da realidade e, enquanto práxis, isto As ideias de Frigotto (1999) se referem à teoria social de Marx, que reconhece a ciência como produto da ação dos homens inseridos em grupos sociais em um determinado momento histórico. Desse modo, o materialismo histórico dialético instiga a reflexão acerca das teorias já constituintes do conhecimento, aprofundando estudos sobre os fundamentos e os limites de construção e reconstrução de uma nova teoria. Ao se analisar a importância do curso de Formação Pedagógica do Parfor na atuação dos professores cursistas em sala de aula, verificam-se que teorias, leis e documentos que fundamentam a análise do presente estudo servirão também de base para a construção de outra realidade em outro momento histórico.

  A concepção de mundo dos cursistas pode ser considerada um processo que se dinamiza por contradições, que impulsionam outras superações. De acordo com as leis do movimento, reconhece-se como essência a matéria em que o pensamento se constitui, a partir da realidade e das condições da existência. O conhecimento teórico é especificado como o conhecimento do objeto,

  [...] tal como ele é em si mesmo, na sua existência real e efetiva, independentemente dos desejos, das aspirações e das representações do pesquisador. [...] a teoria é o movimento real do objeto transposto para o cérebro do pesquisador – é o real reproduzido e interpretado no plano ideal (do pensamento). [...] o método de pesquisa que propicia o conhecimento teórico, partindo da aparência, visa alcançar a essência do objeto. Alcançando a essência do objeto, isto é: capturando a sua estrutura e dinâmica, por meio de procedimentos analíticos e operando a sua síntese, o pesquisador a reproduz no plano do pensamento; mediante a pesquisa, viabilizada pelo método, o pesquisador reproduz, no plano ideal, a essência do objeto que investigou (JOSÉ NETTO, 2011, p. 20-1).

  O social interfere na consciência dos homens definidos que têm necessidades materiais. A realidade concreta é complexa com o que se busca para o bem da humanidade. Marx (1983) aponta a importância do relacionamento dos homens entre si como necessário para a sociedade, acredita ser necessário para sua sobrevivência, seu relacionamento com o outro enquanto ser que vive em um espaço de tempo determinado.

  A realidade é construída pelo homem, podendo ser mudada no decorrer do tempo nas novas funções sociais. Pensando assim, o método serve como orientação para desvelar o conhecimento da realidade. Pires (1997, p. 87) indica que sociedade, isto é, trata-se de descobrir (pelo movimento do pensamento) as leis fundamentais que definem a forma organizativa dos homens durante a história da humanidade.

  O materialismo histórico dialético apresenta a totalidade da vida social, dos fenômenos e da história como um dos seus princípios. Nota-se que a construção do papel do professor mudou com o passar do tempo por meio de mudanças das políticas educacionais. A análise da pol

Mostre mais