A principal função deste ensaio é fornecer um método simples e conveniente para controlar a uniformidade da produção de concreto de diferentes betonadas

  CONCRETO CONCRETO FRESCO

  Profa. Eliana Barreto Monteiro

PROPRIEDADES NAS PRIMEIRAS IDADES

  • Propriedade fundamental;
  • Determinada pelo ensaio de abatimento de tronco de cone;
  • Esforço necessário para “transportar, lançar, adensar e dar acabamento” ao concreto fresco, com perda mínima de homogeneidade;

  2

  tronco de cone. Simples índice de mobilidade ou da fluidez do concreto.

  CONSISTÊNCIA

  1

  2

3 Consistência: medida pelo ensaio de abatimento do

  4 ENSAIO DE ABATIMENTO DE TRONCO DE CONE

  5 Abatimento do Tronco de Cone – NBR 7223 Seca: Abatimento = 0 a 20 mm (+ 5 mm); Medianamente plástica: Abatimento = 30 a 50 mm (+ 10 mm);

  Plástica: Abatimento = 60 a 90 mm (+ 10 mm); Medianamente fluida: Abatimento = 100 a 150 mm (+ 20 mm);

  Fluida ou líquida: Abatimento > 160 mm (+ 30 mm); Critérios adaptados de HELENE & TERZIAN (1992)

  CONSISTÊNCIA

  6 CONSISTÊNCIA A principal função deste ensaio é fornecer um método simples e conveniente para controlar a uniformidade da produção de concreto de diferentes betonadas

  4

  5

  7 CONSISTÊNCIA Chegando a obra, e feita a mistura final girando a betoneira com 12 a 16 voltas/minuto, durante 4 minutos. Durante esse tempo, devemos checar os seguintes pontos:

   Numero do lacre do caminhão: conferir o numero do lacre da betoneira com o numero lançado na nota fiscal, para garantir tipo e volume correto do concreto. Conferir também a placa e o numero do caminhão betoneira.

  8 CONSISTÊNCIA

   Hidrômetro do caminhão: o volume máximo de água a ser adicionado em uma carga de concreto esta definido na dosagem do concreto, especificado na nota fiscal.

   A água, destacada na nota fiscal para reposição da perda de água de amassamento, deve ser adicionada na obra até o máximo especificado para a necessidade de aumento de slump .

  • Retira-se o molde lentamente, levantando-o verticalmente e medi-se a diferença entre a altura do molde e a altura da massa de concreto, depois de assentada.

  9 CONSISTÊNCIA

   Coloca-se uma amostra de concreto dentro de uma fôrma cônica, em três camadas igualmente adensada, cada uma com 25 golpes aplicado por uma haste padronizada.

  7

  8

ENSAIO DE ABATIMENTO DE TRONCO DE CONE

  10

  10 ENSAIO DE ABATIMENTO DE TRONCO DE CONE

  11

  11 ENSAIO DE ABATIMENTO DE TRONCO DE CONE

  Mudança imprevista nas proporções da mistura (TRAÇO)

  12 Resumindo...

  Ensaio de Abatimento de Tronco de 13 Cone ABNT NBR 7223

  13 CONSISTÊNCIA

  Não é recomendado para concreto muito fluido e nem muito seco Caso o concreto seja do tipo auto adensável , o procedimento de ensaio é bastante semelhante, denominado slump flow test , sendo que o que se mede é o espalhamento do concreto e não a altura

  adensada

  (nesse ensaio não é necessária a realização de adensamento). A medida da fluidez é tirada pelo diâmetro do circulo formado pelo concreto.

  Slump Flow Test 14

  14 TRABALHABILIDADE Definição

  A trabalhabilidade é a propriedade que determina o esforço necessário para manipular uma quantidade de concreto fresco com a perda mínima de homogeneidade.

  Manipular Lançamento

  Adensamento Acabamento

  15 TRABALHABILIDADE Proporcionar um concreto para uma determinada trabalhabilidade é mais como uma arte que uma ciência.

  16 TRABALHABILIDADE Consistência: Medida da umidade do concreto, a qual é normalmente avaliada em termos de abatimento do tronco de cone (quanto mais úmida a mistura maior o abatimento). Coesão: Medida da facilidade de adensamento e de acabamento, a qual é geralmente avaliada por facilidade de desempenar e julgamento visual da resistência à segregação. 17

  17 TRABALHABILIDADE

  Facilidade com a qual um concreto pode ser manipulado, sem segregação nociva.

  Aumenta o custo Concreto difícil de manipulação de adensar

  Resistência Durabilidade Aparência 18 TRABALHABILIDADE A trabalhabilidade representa várias e diversas características do Concreto fresco de difícil avaliação quantitativa

19 TRABALHABILIDADE

  O que fazer para que a Trabalhabilidade não afete o custo e a qualidade do concreto? A fluidez do concreto não deve ser superior à

   necessária para lançamento, adensamento e acabamento.

  Para concretos que requeiram elevada

   fluidez no momento da concretagem, uso de aditivos redutores de água e retardadores de pega devem ser preferíveis ao lançamento de mais água ao concreto, no canteiro de obra. 20

  20 TRABALHABILIDADE Pasta com a/c = 0,60 Para f de 20 MPa ck Santana; Gois 2017 21

  TRABALHABILIDADE Pasta com a/c = 0,50 Para f ck de 30 MPa

  Santana; Gois 2017 TRABALHABILIDADE

  Pasta com a/c = 0,30 Para f ck de 60 MPa

  Santana; Gois 2017 TRABALHABILIDADE

  Efeito do Aditivo Super plastificante (1%) Santana; Gois 2017

  22

  23

  TRABALHABILIDADE a/c = 0,30 a/c = 0,40 fck = 60 MPa fck = 40 MPa a/c = 0,50 a/c = 0,60 fck = 30 MPa fck = 20 MPa

  Consistência da pasta de cimento com relação água/cimento de (a) 0,30, (b) 0,40, (c) 0,50 e (d) 0,60 Fonte: Aquino et al (2016). 25

  25 FATORES QUE AFETAM A TRABALHABILIDADE

  CONSUMO DE ÁGUA O abatimento ou consistência do concreto é uma função direta da quantidade de água na mistura, dentro de certos limites é independente de outros fatores

  Influência da dosagem na consistência:

  Relação água/cimento

   Relação agregados/cimento

   Quantidade de água  26

  26 FATORES QUE AFETAM A TRABALHABILIDADE CONSUMO DE CIMENTO Uma diminuição do consumo de cimento, tende a produzir misturas ásperas, com um acabamento precário. Um aumento do consumo de cimento, apresentam excelente coesão, mas tendem a ser viscosos.

  • cimento
  • água
  • 27
O tamanho das partículas do agregado graúdo influencia na água necessária para uma dada consistência.

   Areias muito finas e grãos angulosos necessitam mais água para uma dada consistência

  (misturas ásperas e pouco trabalháveis)  Areias mais grossas e grãos arredondados necessitam menos água para uma dada consistência

  (misturas trabalháveis) FATORES QUE AFETAM A TRABALHABILIDADE

28 CARACTERÍSTICA DOS AGREGADOS

  29 ADITIVOS FATORES QUE AFETAM A TRABALHABILIDADE

  Perda de Abatimento A perda de abatimento é a perda de fluidez do concreto fresco com o passar do tempo.

  28

  29

PROPRIEDADES NAS PRIMEIRAS IDADES

PERDA DE ABATIMENTO

  Primeira ½ hora Perda do abatimento insignificante, (volume dos produtos de hidratação pequeno)

  Perda do abatimento é função:

  • Hidratação
  • Temperatura
  • Composição de Cimento •Aditivos presentes

31 Quando ocorre a perda de abatimento?

PERDA DE ABATIMENTO

   Necessidade extra de água  Aderência do concreto dentro da caçamba do caminhão betoneira

   Dificuldade de bombeamento e lançamento do concreto

   Queda da produtividade da mão-de-obra

   Perda da resistência e durabilidade (devido a colocação de mais água)

  “Um carregamento perdido de concreto duvidoso pode representar um ótimo negócio para a empresa de serviços de concretagem, comparado ao seu possível uso e falha de desempenho.”

  Quando a água livre de uma mistura de concreto é consumida pelas reações de hidratação, por absorção na superfície dos produtos de hidratação e por evaporação.

  31

32 O que pode acontecer com a perda de abatimento?

  32

PERDA DE ABATIMENTO

  1) Emprego de um cimento de pega anormal 2) Tempo muito longo de mistura, transporte, lançamento, adensamento, acabamento 3) Alta temperatura do concreto devido ao calor de hidratação excessivo ou uso de materiais no concreto que tenham sido estocados a uma temperatura ambiente muito alta

  Quais são as causas dos problemas de perda de abatimento em concreto?

33 Causas e Controle

PERDA DE ABATIMENTO

  Causas e Controle

  Problemas de perda de abatimento ocorrem mais frequentemente em climas quentes. Quanto mais alta a temperatura na qual o concreto é misturado, manuseado e lançado, maior é a probabilidade de que a perda de abatimento seja a causa de problemas operacionais.

  Utilizado para diminuir a temperatura 34

34 PERDA DE ABATIMENTO

  Causas e Controle Medidas preventivas para controlar problemas de perda de abatimento  Eliminar qualquer possibilidade de atraso nas operações de concretagem.

   Manter temperatura do concreto entre 10C e 21 C.  Controle laboratorial das características de pega e endurecimento do Cimento (com ou sem os aditivos selecionados para o uso).

  35

  35 SEGREGAđấO E EXUDAđấO Definições e Importância A segregação é definida como sendo a separação dos componentes do concreto fresco de tal forma que a sua distribuição não é mais uniforme

  Acontece em misturas secas, separação dos agregados da argamassa do concreto (por vibração excessiva) 36

  37 Definições e Importância A exsudação é definida como o aparecimento de água na superfície após o concreto ter sido lançado e adensado, porém antes de ocorrer a sua pega.

  Nata porosa é quando a água percola nos capilares internos, carregandoas partículas mais finas de cimento, areia e argila presentes como impureza do agregado e depositando sob a forma de lama sob a superfície do concreto

  Pulverulência

  SEGREGAđấO E EXUDAđấO

  38 

  Consistência inadequadas 

  Quantidade excessiva de agregados graúdos com massa específica muito alta ou muito baixa  Pouca quantidade de partículas finas  Métodos impróprios de lançamento e adensamento

  Causas SEGREGAđấO E EXUDAđấO

  39 Qual a importância das primeiras idades do concreto? As deficiências adquiridas no concreto fresco como: perda de trabalhabilidade, segregação, exsudação, baixa taxa de crescimento da resistência, podem prejudicar o concreto permanentemente e reduzir sua vida útil.

  O CONCRETO NAS PRIMEIRAS IDADES

  37

  38

  O CONCRETO NAS PRIMEIRAS IDADES

  Quanto tempo duraria as primeiras idades do concreto? O Tempo que o concreto tem para atingir as “primeiras idades” depende de muitos fatores:

  40

  40

Mostre mais