Biblioteca Universitária do Futuro: percepção dos usuários da Biblioteca Central da Universidade Federal de Minas Gerais

  1 Biblioteca Universitária do Futuro: percepção dos usuários da Biblioteca

  1 Central da Universidade Federal de Minas Gerais

  2 Anselmo Rezende Gusmão

  3 Cláudia dos Santos Roberto Nascimento

  4 Everson da Silva Santana

  5 Késsya Cristine de Oliveira Silva

  6 Thamires Maria Canhestro Martins Resumo: O estudo de usuários é uma forma de tornar as necessidades dos usuários conhecidas e possibilitam a comunicação entre a biblioteca e a sua comunidade. Para entender o que os usuários desejam de uma biblioteca, o objetivo do estudo é conhecer a percepção dos usuários da Biblioteca Central sobre como será a biblioteca universitária do futuro. A metodologia consistiu em uma abordagem quanti-qualitativa com a aplicação de questionários para os alunos dos cursos de graduação da Universidade Federal de Minas Gerais. Na primeira etapa, foram respondidos 279 questionários, sendo que 166 foram considerados válidos. Na segunda etapa, foram realizadas entrevistas com 10 estudantes de graduação. A análise dos dados aponta que os alunos esperam que biblioteca universitária do futuro tenha maior integração com a tecnologia, aumento da diversidade de serviços oferecidos, melhoria na estrutura e dos móveis, porém, ainda esperam encontrar aspectos tradicionais de uma biblioteca. Constatou-se também que devido às limitações, tais como: influência do ambiente nas respostas e a visão do bibliotecário pelos usuários. Sugere-se que o estudo seja replicado em outros tipos de biblioteca para conhecer suas percepções de como será uma biblioteca no futuro para propor um novo modelo.

  Palavras-chave: Biblioteca Universitária. Estudo de usuários. Biblioteca do futuro.

  University Library of the Future: perception of users of the Central Library of the Federal University of Minas Gerais Abstract: User study is a way to make user needs known and enable communication between the library and its community. To understand what users expect from a library, the purpose of 1 the study is to understand the perceptions of Central Library users about what the

  Artigo apresentado para conclusão da disciplina Usuários da Informação, do curso de Biblioteconomia, da 2 Universidade Federal de Minas Gerais.

  Aluno de graduação do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: 3 anselmo-gusmao@bol.com.br Aluna de graduação do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: 4 claudiasrnascimento@gmail.com Aluno de graduação do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: 5 eversondasilvasantana@gmail.com Aluna de graduação do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: 6 kessyacristine75@gmail.com Aluna de graduação do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: canhestrothamires@gmail.com

  

university library of the future will look like. The methodology consisted of a quantitative-

qualitative approach with the application of questionnaires amongst undergraduate students

of the Federal University of Minas Gerais. In the first stage, from 279 questionnaires

answered, 166 were considered valid. In the second stage, interviews were conducted with 10

undergraduate students. The analysis of the data indicates that the students expect that future

university library will have greater integration with the technology, increase of the diversity

of services offered, improvement in the structure and furniture, but still expect to find

traditional aspects of a library. It was noted some limitations of the research such as the

influence of the environment on the answers production and the small number of respondents

in the qualitative research, so it is suggested that the study should be replicated in other types

of library to know their perceptions of what will be a library in the future to propose a library

new model.

  Keywords: University Library. User Studies. Library of Future.

1 INTRODUđấO

  Segundo Galvão e Cunha (2007), durante as últimas décadas o tema estudo de usuários tem sido pesquisado continuamente com o objetivo de coletar dados com o intuito de avaliar produtos e serviços informacionais, além de dar maior entendimento de como ocorre a transferência da informação. No início, os estudos de usuários de bibliotecas eram mais focados na identificação do uso de materiais e comportamentos no âmbito quantitativo, sem detalhar os comportamentos informacionais. Depois os estudos se preocuparam em determinar como a informação era obtida e usada. Mais recentemente começa a preocupação com a automação.

  A introdução da informática na biblioteconomia proporcionou um grande salto tecnológico, com ganhos em qualidade e quantidade do resgate da informação. Dentro do rompimento de paradigmas que dia a dia vem modernizando a biblioteca no mundo, temos a necessidade de prever e estudar o futuro da biblioteca.

  Atualmente, contamos com um verdadeiro arsenal de ferramentas que possibilitam o acesso mais rápido e rico de informações, o que já nos faz vivenciar a biblioteca do futuro indicando a busca que precisamos fazer para acompanhar esse desenvolvimento. Pensar o futuro é um projeto complexo e desafiador e, neste contexto, este trabalho tem como objetivo conhecer a percepção dos usuários sobre como será a biblioteca do futuro, e como ela está presente na mente do usuário universitário.

  Tendo os usuários da biblioteca central da Universidade Federal de Minas Gerais como objeto de estudo, público envolvido em praticamente todas as áreas do conhecimento, procuramos entender principalmente como ele faz uso desse sistema, como ele enxerga sua realidade e o que espera em termos de mudanças em um prazo relativamente longo, aproximadamente para as três próximas décadas. Pretende-se assim entender e dar um norte às possíveis mudanças, baseando nas expectativas daqueles que são realmente a razão pela qual a biblioteca existe. Além da biblioteca em si, procurou-se identificar a importância do profissional bibliotecário na visão do usuário, tanto na situação atual quanto na expectativa de como será sua atuação no futuro. Baseado nas observações realizadas pelos próprios usuários, este trabalho procurou entender, de maneira conclusiva, as diferentes visões relatadas pelos participantes da pesquisa, concluindo que vários fatores devem ser considerados, dentre eles a área do conhecimento na qual ele está inserido, para entender os motivos que levam a essas percepções.

  2 METODOLOGIA

  Esta pesquisa tem caráter descritivo e busca compreender como será a biblioteca universitária do futuro a partir de uma abordagem quantitativa e qualitativa. A população para este estudo são estudantes da graduação da UFMG do Campus Pampulha. A amostra foi constituída por estudantes que frequentam a Biblioteca Universitária matriculados nos cursos da UFMG.

  Na etapa quantitativa, foi aplicado o questionário online de 15 perguntas utilizando o software Qualtrics. A divulgação do questionário foi através de envio de e-mails para os colegiados dos cursos de graduação, informando o objetivo da pesquisa e solicitando que repassassem para os alunos da graduação. Foram coletados 279 respostas, sendo que 166 foram consideradas válidas para a pesquisa.

  Na etapa qualitativa, optou-se por utilizar a entrevista semiestruturada com 8 perguntas. Essas perguntas foram elaboradas com o objetivo de contemplar aspectos que não ficaram claros na etapa quantitativa. Foram entrevistadas 10 pessoas e foi assinado o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido por ambas as partes - entrevistado e entrevistador - sendo que uma via ficava com o entrevistado.

  3 RESULTADOS E DISCUSSÃO

3.1 Etapa quantitativa

  Na primeira etapa, foram analisadas as 166 respostas do questionário. Dentre eles três faixas etárias se destacaram: cerca de 48,8% dos respondentes tem idade entre 17-21, 32,53% entre 22-26 e 11,45% tem entre 27-31 (GRÁFICO 1). Em sua grande maioria, as áreas de conhecimentos dos respondentes são (GRÁFICO 2): Ciências Exatas e da Terra com 31,33%; Engenharias com 22,89%; Ciências Sociais Aplicadas com 19,88%; e Ciência da Saúde com 13,25%.

  GRÁFICO 1 - Faixa etária

  

Fonte: elaborado pelos autores

  GRÁFICO 2 - Área do conhecimento por curso

  

Fonte: elaborado pelos autores

  Inicialmente procurou-se identificar o porquê dos usuários frequentarem o espaço da Biblioteca Central (BC), assim como, a eficiência da informação disponibilizada aos usuários e o grau de satisfação com alguns aspectos e serviços da biblioteca.

  GRÁFICO 3 - Motivos para frequentar a BC GRÁFICO 4 - Necessidade Atendida

  

Fonte: elaborado pelos autores Fonte: elaborado pelos autores

  A maioria dos respondentes afirmou frequentar a Biblioteca Central para pegar material, estudar e frequentar o espaço leitura. Alguns disseram, por meio da opção “Outros”, que frequentam para dar monitoria, fazer trabalhos em grupo, utilizar o espaço para fazer trabalhos e por causa do estágio. É possível observar que a biblioteca ainda desempenha um papel tradicional, podendo ser comprovado quando observamos a menor porcentagem (3,07%) que é para participar de eventos.

  Ao analisar o Gráfico 4, com um resultado de 53,05% em Quase sempre e 38,41% Sempre infere-se que grande parte dos respondentes encontram a informação que procuram. Portanto, isso aumenta a responsabilidade dos gestores da biblioteca que têm de estar atentos aos anseios de seus usuários e garantir que seus colaboradores estejam disponíveis para atendê-los de forma cordial e agradável, procurando sempre aprimorar suas práticas de trabalho.

  GRÁFICO 5 - Grau de Satisfação

  

Fonte: elaborado pelos autores

  Para medir o grau de satisfação dos aspectos e serviços da BC: “Atendimento”, “Espaço Físico”, “Empréstimo” e “Livros, Periódicos e outros”, os usuários tinham que escolher entre as opções Insatisfeito, Pouco Satisfeito, Indiferente, Satisfeito e Muito Satisfeito, sendo que foi atribuído a essas opções o valor de 1 a 5 - 1 para Insatisfeito e 5 para Muito Satisfeito. Ao avaliar as médias percebe-se que os três primeiros aspectos, acima de 3,5, mostram que os usuários estão satisfeitos com estes aspectos, entretanto, o valor de 3,45 para “Livros, Periódicos e outros” revela que eles estão menos satisfeitos com este quesito.

  GRÁFICO 6

  • – Preferência de suporte para leitura

  

Fonte: elaborado pelos autores Quando os usuários da biblioteca foram perguntados em qual suporte tem preferência para ler, a maior parte, com 64,46%, respondeu que é pelo suporte impresso. Para a biblioteca do futuro isso mostra que a existência do material físico será indispensável, entretanto, não poderão desconsiderar o material digital, apesar da pequena porcentagem de 3,61%, visto que, uma grande quantidade tem preferência para ler em ambos (31, 93%).

  GRÁFICO 7

  • – Principal função da biblioteca

  

Fonte: elaborado pelos autores

  Tentando entender qual a visão que usuários têm da biblioteca, eles foram perguntados sobre qual deve ser a principal função da biblioteca. A maior porcentagem de respostas foi para todas as anteriores (63,86%) o que significa que as pessoas esperam que a biblioteca desempenhe várias funções. Porém ninguém respondeu que a biblioteca é um lugar para lazer e também em outros a maioria das respostas foi para “espaço para estudos” e “empréstimo” o que demonstra que os usuários ainda têm uma visão tradicional da função da biblioteca.

  QUADRO 1

  • – Grau de concordância dos usuários com as afirmativas

  

Fonte: elaborado pelos autores

  No estudo também foi colocado algumas afirmativas a fim de analisar o grau de concordância dos usuários sobre alguns aspectos que estariam presentes ou não na biblioteca do futuro, sendo que, na escala, 1 significa discordo totalmente, 2 discordo, 3 indiferente, 4 concordo e 5 concordo totalmente. De acordo com as maiores médias, os usuários esperam que muitas tecnologias sejam incorporadas a biblioteca como “Não será preciso procurar livros nas estantes, uma tecnologia irá informar a posição exata do livro” com média de 4,19, mas a maior média f oi para “O profissional bibliotecário deve existir na biblioteca do futuro” com 4,45 de média, o que demonstra a importância do bibliotecário para os usuários. Observando também a menor média (1,26) que foi para “As bibliotecas não serão mais necessárias”, percebemos o quão relevante é o espaço físico para os usuários.

  GRÁFICO 8 - Local da biblioteca universitária do futuro

  

Fonte: elaborado pelos autores

  Ao serem perguntados sobre como deve ser o local da biblioteca universitária do futuro, os respondentes puderam marcar mais de uma opção, o resultado, portanto, é relacionado ao total de respondentes. Sendo que a maioria deles afirmou que a biblioteca deverá ser um espaço de convívio social (58,43%). Isso mostra que os usuários vêem a biblioteca do futuro como um espaço onde poderão ter um maior contato e interação com outras pessoas, seguido que ela seja um local integrado com a natureza (47,59%) e estar em um ambiente virtual (35,95%). Os dois últimos resultados apresentados se diferem, porém, apontam a vontade dos usuários de que a biblioteca seja espaço físico inovador e satisfatório, como também esteja em meio digital.

  GRÁFICO 9 - Recurso tecnológico a ser incorporado na biblioteca do futuro

  

Fonte: elaborado pelos autores Quando o assunto é o futuro, seja ele em diferentes contextos, a tecnologia é um dos assuntos mais abordados. Para essa pesquisa, após perguntarmos sobre em qual suporte os respondentes têm preferência para ler, foi pensado no ambiente e serviços da biblioteca e qual recurso pode-se esperar que incorpore a ela no futuro. Nessa pergunta, os respondentes também puderam marcar mais uma opção, sendo as três mais assinaladas: dispositivos para leitura de livro eletrônico - Ipad, tablet, kindle (74,10%), coleção de livro eletrônico (71,69%) e máquinas de autoatendimento - empréstimo, devolução (59,64%). Com esse resultado, é perceptível que a utilização de recursos eletrônicos é crescente, é uma demanda dos usuários e devendo, portanto, os profissionais bibliotecários ficarem atentos.

  GRÁFICO 10 - Necessidade do profissional bibliotecário na biblioteca universitária do futuro

  

Fonte: elaborado pelos autores

  Apesar da pesquisa apontar que é da vontade dos usuários que os recursos tecnológicos estejam cada vez mais presentes nas bibliotecas, ao perguntar se há necessidade da biblioteca universitária do futuro ter o profissional bibliotecário, a maioria dos respondentes (83,64%) afirmou que sim, há necessidade. Dessa maneira, é possível concluir que a atuação desse profissional é de extrema importância. Entretanto, uma porcentagem mesmo que mínima de 6.06% responderam que não conhecem a profissão e este é um aspecto relevante a ser considerado, uma vez que existem pessoas que mesmo sendo usuárias de biblioteca não conhecem o profissional bibliotecário, desse modo não podem atribuir alguma importância sobre o mesmo, sendo esse um ponto de atenção para todos estes profissionais.

3.2 Etapa qualitativa

  A partir das perguntas para a entrevista e das respostas dos entrevistados foram criadas oito categorias no qual serão apresentadas as suas respostas. A fim de diferenciar os entrevistados elaborou-se um quadro informando o curso, idade e gênero (QUADRO 2). A análise das entrevistas identificará o apenas Entrevistado

  “X”. QUADRO 2 - Perfil dos entrevistados

  

Fonte: elaborado pelos autores

   Espaço físico Esta categoria foi criada, com base nas perguntas da entrevista, para contemplar aspectos mencionados na opção “Outros” de algumas das perguntas da etapa quantitativa, no qual os usuários mencionaram características que desejavam para a biblioteca do futuro. Durante a entrevista, ao serem questionados sobre o Espaço Físico, os entrevistados mencionam principalmente ampliação do espaço da biblioteca, melhorias nos móveis como mesas, cadeiras e estantes. O Entrevistado 3 ilustra exatamente isso, além de incluir uma gráfica e um espaço para dormir:

  Eu acho que tinha que ser um espaço maior, mais sala de estudo em grupo, (...) um outro andar individual mais calmo, tipo a FACE que dá pra ouvir até a alma, e eu acho que devia ter mais acesso a internet e sala de informática também dentro do prédio, porque é uma coisa que falta muito na UFMG, sala de informática. [...] Podia ter uma gráfica aqui também, dentro da biblioteca.

  [...] um lugar pra dormir mesmo, acho que seria ótimo, [...] por exemplo, um andar desse aqui cheio de puf e sofá, a faculdade toda ia ficar aqui, então tipo assim dormir é essencial pra absorver os conhecimentos, [...] acho que ia ser legal se tivesse mais estantes, mais livros, cadeiras mais confortáveis.

  O entrevistado 6 mencionou a inserção de novos espaços na biblioteca para torná-la mais convidativa. O Entrevistado 4 também segue esta linha sugerindo que o espaço da biblioteca se assemelhe ao ambiente de estudo em casa: Entrevistado 6

  [...] um espaço para uso de multimídias, um espaço com um café (Restaurante, lanchonete, espaço gourmet), espaço para exposições, palestras, talvez até aulas, e porque não uma área parecida com um cinema. Os alunos poderão visitá-la tanto no período das aulas, quanto no período das férias, por exemplo.

  Entrevistado 4

  Eu penso que uma biblioteca ideal seria a que tivesse um espaço próprio para a pessoa relaxar, que ela pudesse dormir, que ela pudesse se sentir mais confortável até mesmo para estudar, que lembra o ambiente da casa da gente, o ambiente em que a gente estuda na nossa casa.

  Quando foi abordado a questão da coexistência entre Biblioteca física e digital ou apenas a digital a maioria das respostas apontava para a coexistência de ambas tipologias, por exemplo as respostas dos Entrevistados 1 e 3:

  Eu penso que a tendência de mercado é essa mesmo, digitalizar o conteúdo do que se encontra dentro da biblioteca, mas provavelmente esses materiais vão ser preservados sim em formato físico [...] (Entrevistado 1).

  Não, físico e digital, totalmente. Tem que ser a convivência junta dos dois, não tem como.(Entrevistado 3)

  Entretanto, o Entrevistado 5, diferente dos demais, ressalta que a Biblioteca seria completamente digital:

  Eu acho que ela seria completamente digital, não existiria mais a biblioteca como conhecemos, e todos os livro e... trabalhos seriam disponibilizados em uma rede interna da biblioteca, entendeu? Não seria disponibilizado para e internet em si mas uma rede interna que você conseguiria baixar os arquivos,

  os estudantes daquela universidade.

   Suportes dos documentos Nesta categoria procuramos compreender qual a perspectiva que os usuários têm sobre como será o suporte para os documentos na biblioteca do futuro, se será digital ou impresso e se os

  

e-books dominarão. A partir das respostas, alguns resultados que chegamos foram: o suporte

  para os documentos será digital e impresso, haverá esse meio termo porque tem pessoas que preferem o livro físico e tem pessoas que se adaptam com a leitura no suporte digital; os e-

  

books farão parte da biblioteca, mas não serão exclusividade, visto que o contato com o livro

  físico é diferente. Isso pode ser percebido através da fala do Entrevistado 1:

  Aí eu penso que os dois suportes podem conviver em paz, sabe, é tanto o meio digital quanto o meio físico. O meio digital com certeza traz certas facilidades. Eu sei que muita gente ainda prefere ler um livro, por exemplo, físico, não se sente tão à vontade assim de ler no meio digital, então é provável que os dois ambientes vão conviver juntos, mesmo no futuro distante.

   Aspecto tecnológico Através dessa categoria, buscamos entender quais tecnologias os entrevistados esperam que sejam incorporadas à biblioteca do futuro. As conclusões a que chegamos foram: a biblioteca teria que ter mais computadores e uma maior integração com a tecnologia; a prestação de serviços seria executava online, através de um aplicativo ou algum suporte para fazer tudo de casa através do computador ou celular. O entrevistado 6 disse “Creio que cada biblioteca terá um aplicativo em que o usuário poderá fazer empréstimos, renovações, sugestões, tudo por meio do celular ou qualquer outro dispositivo”. Já o entrevistado 3 relatou:

  [...] eu acho que devia ter mais acesso a internet e sala de informática também dentro do prédio, porque é uma coisa que falta muito na UFMG, sala de informática. (Na biblioteca central), só tem três computadores, mas assim dos anos 80, não dá nem pra ligar, de verdade. Precisa integrar mais a tecnologia aqui dentro.

   Acervo/coleção Por meio dessa categoria, procuramos entender qual a visão dos entrevistados sobre como será o acervo/coleção da biblioteca no futuro. As conclusões nas quais chegamos foram que eles esperam que haja uma atualização e aumento do acervo; que o acervo estará disponível no espaço físico e no virtual e no ambiente virtual estaria disponível o documento completo. O entrevistado 2 expressou:

  “Atualização e aumentar. Aumentar se for da versão mais atualizada.” E o entrevistado 6 disse: “O acervo estará tanto disponível no espaço físico quanto nos sites das bibliotecas. Nesses sites estarão o documento completo, além da referência e do resumo, facilitando a vida do usuário”.

   Atuação e necessidade do bibliotecário Foi buscado nessa categoria saber qual é a atuação do bibliotecário para os entrevistados e aprofundar na necessidade da presença profissional na biblioteca universitária do futuro. Pode-se afirmar que para a biblioteca universitária do futuro, o profissional bibliotecário deverá continuar existindo. Todos os entrevistados afirmaram que é necessário a existência do bibliotecário e sua principal atuação atribuída a essa necessidade é o auxílio aos usuários nas suas buscas, sejam elas nas estantes como no banco de dados. Na fala do entrevistado 2 e 3 respectivamente é possível afirmar essa conclusão:

  Acredito que sim, eu fico muito perdida aqui, eu tenho sempre que pedir ajuda, apesar de que a gente pesquisa lá no pergamum e aí ajuda muito, já vai direitinho na fileira, mas mesmo assim ainda fico perdida, então eu acredito que sempre é necessário.

  Sim, precisa pra organização, ajudar na organização, ajudar a gente a

procurar um livro, fazer uma busca de dados correta.

  É possível também afirmar que os bibliotecários terão cada vez mais que se adequar, se atualizar e passar a desenvolver diferentes papéis para a promoção e valorização do espaço e da leitura e buscar melhorias no atendimento aos usuários. A fala do entrevistado 4 exemplifica bem essa afirmativa:

  Eu acho que deveria ser pessoas que queiram estar ali mesmo, que não sejam pessoas grossas como é atualmente, acho que é super importante que sejam pessoas agradáveis, que você, sabe, se sente confortável para pegar um livro, tirar alguma dúvida, acho que deveria mudar.

   Convívio Social O objetivo dessa categoria foi aprofundar na mesma questão já abordada na etapa quantitativa da pesquisa. E diferente dessa primeira etapa onde os respondentes afirmaram que a biblioteca universitária do futuro será um espaço para convívio social, os entrevistados manifestaram

  uma opinião divergente. Concluindo que a tendência é que o convívio social diminua com o tempo, porém, acredita-se que se a biblioteca passar por uma mudança significativa em seu ambiente, isso mude.

  Biblioteca realmente nunca foi necessariamente um lugar de interação social. De fato, as pessoas vão lá ou pra pegar livro emprestado ou pra estudar, enfim, dificilmente à exceção de grupos que vão para estudar em conjunto lá não há essa interação e é provável que no futuro isso também vai diminuir cada vez mais (Entrevistado 1).

  [...] é porque a tendência das pessoas é cada dia mais individualizadas, então, não sei, acho que seria cada vez menor (Entrevistado 2). Eu acho que podia de alguma forma integrar mais os cursos, porque tipo assim a faculdade é muito dividida em caixinhas, [...] devia ter algum jeito de integrar todos, eu acho que biblioteca ia ser um espaço pra isso porque a biblioteca agrega todos os livros de todos os cursos, então ia ser uma forma boa (Entrevistado 3).

  Eu acho que não porque as pessoas vêm aqui só para estudar mesmo, não tem aquela coisa assim de conhecer pessoas [...] mas talvez se tivesse esse espaço diferenciado poderia ter um convívio maior com as pessoas (Entrevistado 4).

   Ambiente virtual No ambiente virtual, os usuários mencionaram maior interação no espaço virtual como ter acesso a e-books e ter a possibilidade de fazer empréstimos. O Entrevistado 3, em sua fala, sugere também a criação de um chat para discussão de obras onde alunos e professores poderiam participar:

  Eu acho que no ambiente virtual deveria ter, por exemplo, em um e-book, um espaço, tipo um chat, relacionado aquele livro, onde as pessoas podem perguntar, fazer perguntas, conversar um com o outro, os professores também poderiam ter acesso a esse local, às vezes, responder as perguntas que os alunos deixassem lá e acho que é isso, ter mais acesso, no caso se você acessasse um e-book, acho que não tem a necessidade você devolver pra biblioteca, [...] Eu não sei como funciona um empréstimo digital (Entrevistado 3).

  O Entrevistado 7, apesar de compartilhar das vantagens que traz o acesso da biblioteca, no espaço virtual, a partir do ambiente doméstico não descarta a biblioteca quanto em espaço físico:

  Eu acho que o pessoal poderia utilizar em casa né, [...] talvez fosse mais prático, dependendo de alguns livros, poderia até mesmo o pessoal baixar.

  Não sei se até… se seria liberado até liberado fazer isso. [...] Mas apesar que eu, particularmente, eu sou a favor de ter uma biblioteca espaço físico, porque acho que é até melhor do que ficar estudando em casa, produz muito mais.

  Ambos os entrevistados mencionaram o empréstimo virtual, todavia ressaltaram que desconhecem como funciona o processo.

   Uso da biblioteca no futuro Para encerrar a entrevista, os entrevistados foram questionados se pretendiam continuar utilizando uma biblioteca. As respostas mostram que mesmo depois de formados, os usuários das bibliotecas universitárias venham a continuar frequentando outras bibliotecas. Acreditam que as bibliotecas desempenham o papel de agregar conhecimento, de se manter informado e ser um espaço prazeroso. A fala desses entrevistados demonstra isso claramente:

  [...] A gente quer aprender cada vez mais e no meu ponto de vista a biblioteca e o lugar ideal pra isso, pra aprender, para adquirir novos conhecimentos (Entrevistado 1).

  A gente tem que, querendo ou não usar a biblioteca pra sempre, nem que seja para estudo próprio, mas diversão, literatura e afins, acho que a biblioteca nunca vai deixar de existir, sempre vai ter (Entrevistado 3).

  Sim, claro. A biblioteca é melhor lugar para buscar informação segura e confiável, um ótimo lugar para estudos, e porque não, para o lazer (Entrevistado 6).

4 CONSIDERAđỏES FINAIS

  Visões estruturadas do futuro são fundamentais para definirmos as ações estratégicas de longo prazo indispensáveis diante das múltiplas oportunidades e desafios de um mundo em transformação, onde a biblioteca deve e vai se adaptar, para atender as necessidades do usuário em cenários de uma era digital. Portanto, visando entender a percepção que os usuários têm sobre como será a biblioteca universitária no futuro, chegamos às seguintes conclusões, através dos estudos quantitativo e qualitativo: a biblioteca do futuro incorporaria aspectos tradicionais e se adaptaria a mudanças com a inserção de novos serviços e espaços; o bibliotecário terá que se adequar e assumir vários papéis, além de ouvir as necessidades do usuário (o que ele quer, serviços e características do espaço); os documentos digitais farão parte da biblioteca, mas não dominarão, visto que, para os pesquisados, haverá coexistência entre os dois suportes e um dos grandes desafios da biblioteca universitária do futuro é que ela se transforme em um ambiente de convívio social.

  O estudo, além de trazer a compreensão do que os usuários desejam de uma biblioteca do futuro, revelou algumas limitações, por exemplo, a influência do ambiente nas respostas dos entrevistados tanto na etapa quantitativa - há menção de melhorias nas características do espaço - quanto na qualitativa - sugestão de espaços de descanso semelhante ao que se encontra no Espaço de Leitura da Biblioteca Central. Outro fator limitante que surgiu com o estudo foi a visão do bibliotecário por parte dos usuários. Por meio das respostas, questiona-se qual seria a imagem do bibliotecário para o usuário e quem dentro de uma biblioteca eles consideram como bibliotecário. Para estudos futuros sugere-se replicar o estudo em outros tipos de biblioteca, outros ambientes para saber suas realidades e para poder propor um novo modelo e investigar a imagem do bibliotecário a fim de propor mudanças.

  REFERÊNCIAS

  GALVÃO, Sofia Baptista; CUNHA, Murilo Bastos da. Estudo de usuários: visão global dos métodos de coleta de dados. Perspectivas em Ciência da Informação, [s.l.], v. 12, n. 2, nov. 2007. ISSN 19815344. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/ pci/article/view/48/89>. Acesso em: 05 dez. 2017.

Mostre mais