UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ – UTFPR CÂMPUS – DOIS VIZINHOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

  UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

  • – UTFPR CÂMPUS
  • – DOIS VIZINHOS

    PROGRAMA DE PốS-GRADUAđấO EM ZOOTECNIA

  

ESTIMATIVA DA PRODUđấO LEITEIRA A

PARTIR DE SILAGEM DE DIFERENTES

GENÓTIPOS DE MILHO

  Mestranda: Sonia Santos Orientador: Dr. Thomas Newton Martin Dois Vizinhos, 2013.

INTRODUđấO

  • Cadeia produtiva de leite mundial em 2010;
  • América do Sul;
  • Brasil – 5º maior produtor de leite mundial;
    • – Produção de 31,7 bilhões de litros de leite (FAO 2010);

  • Estado do Paraná
    • – Produção de 3,5 bilhões de litros de leite (IPARDES 2010);

  • Região Sudoeste do Paraná
    • – Produção 956 milhões de litros de leite →26,60% (IPARDES 2010).

INTRODUđấO

  • Região Sudoeste do Paraná
    • – Pequenas propriedades;
    • – Agricultura familiar;
    • – Atividade leiteira

  • Rápido crescimento e contínuo desenvolvimento;
  • Expressiva fonte de renda;
    • – Aprimoramento da alimentação do rebanho

  • Escassez de alimentos;

  ALTERNATIVA

INTRODUđấO

  • Milho – Cultura de maior expressão;
  • Características qualitativas e quantitativas;
  • Aceitação por bovinos;
    • – Porém

  • Grande número de cultivares de milho;
  • Alta taxa de substituição;
    • – Necessidade de testar genótipos de milho para silagem

  • Rapidamente;
  • Verificando o potencial produtivo e o custo;

  ALTERNATIVA MODELAGEM

  Fonte: http://www.google.com.br/imgre... Fonte: http://www.google.com.br/imgres?q=m... Fonte: O autor

  

OBJETIVOS

  • Objetivo geral
    • – Avaliar e caracterizar o potencial produtivo de distintos genótipos de milho, para produção de silagem na região Sudoeste do Paraná, para utilização na atividade leiteira.

OBJETIVOS

  • Objetivos específicos
    • – Avaliar aspectos quantitativos e qualitativos de genótipos de

      milho para produção de silagem;
    • – Estimar a quantidade de leite que cada genótipos pode produzir

      (por tonelada de MS e por hectare);
    • – Estimar o custo operacional para produção de silagem (por tonelada de MS e por hectare).

MATERIAL E MÉTODOS

  • Local – UTFPR (Câmpus Dois Vizinhos)
  • Terceiro Planalto Paranaense;
  • Solo: Nitossolo Vermelho Distroférrico úmbrico;
  • Clima: Subtropical Úmido Mesotérmico;

MATERIAL E MÉTODOS

  • Delineamento experimental
    • – Alfa látice;
    • – Parcelas experimentais; – Plano experimental.

  Fonte: O autor

MATERIAL E MÉTODOS

  • Genótipos avaliados
    • – Ensaio sul, ciclo super-precoce (SSP)

  

MATERIAL E MÉTODOS

  • Genótipos avaliados
    • – Ensaio sul, ciclo precoce-normal (SPN)

  

MATERIAL E MÉTODOS

  • Genótipos avaliados
    • – Ensaio centro, ciclo super-precoce (CSP)

MATERIAL E MÉTODOS

  • Adubação de base
  • 15 dias antes da semeadura;
  • 40 kg de N, 60 kg de K2O e 160 kg de P2O5 por hect>Adubação de cobertura
  • Plantas com seis folhas completamente expandidas;
  • 280 kg de K2O e 150 kg de N por hectare; >Semeadura
  • SSP - 27 de outubro de 2010;
  • SPN - 27 de outubro de 2010; • CSP – 19 de novembro de 2010.

  

MATERIAL E MÉTODOS

  • Avaliação caracteres agronômicos

  (pré-colheita)

  • – Estatura das plantas (EP);
  • – Estatura de inserção de espiga (EE);
  • – Diâmetro de colmo (DC);

  EP

  • – Número total de plantas da parcela (NP);
  • – Número de plantas quebradas e

  EE acamadas (NPQA);

  • – Número de dias para o florescimento (FLOR);

  Fonte:Adaptado de http://www.disolo.com.br/br106.htm

  

MATERIAL E MÉTODOS

  • Colheita – Ponto de colheita “linha do leite”;
    • – Corte de 1 fileira a 30 cm;
    • – Caractere avaliado → número de plantas cortadas para fabricação de silagem (NPCPS); ; Fonte: Adaptado de http://semearaterra.blogspot.com.br/2011_07_01_archive.html
    • – SSP – 02 de fevereiro de 2011
    • – SPN – 03 de fevereiro de 2011; – CSP – 04 de março de 2011.

MATERIAL E MÉTODOS

  • Material ensilado
    • – Comprimento variável 1,5 cm;
    • – Microssilos de cano PVC;
    • – Compactação manual; Fonte: http://www.google.com.br/imgres?q=canot...
    • – Coleta de efluentes da silagem;
    • – Caractere avaliado → Fracionamento (Fitomassa): colmo, folhas e

      espiga;

  • Avaliação caracteres agronômicos (pós-colheita)
    • – Comprimento de espiga (CE);
    • – Diâmetro de espiga (DE);
    • – Número de fileiras de grãos na espiga (NF);
    • – Número de grãos por fileira na espiga (NGF);
    • – Massa da espiga (PE);
    • – Massa de 100 grãos (MCG); Fonte: http://www.google.com.br/search?q...

MATERIAL E MÉTODOS

  • Material ficou ensilado por 60 dias;
  • Avaliação caracteres bromatológicos
    • – Potencial de hidrogênio (pH);
    • – Matéria seca (MS);
    • – Matéria mineral (MM);
    • – Matéria orgânica (MO);
    • – Proteína bruta (PB);
    • – Fibra em detergente neutro (FDN);
    • – Fibra em detergente ácido (FDA); Fonte: http://www.google.com.br/imgres?q=an%...
    • – Extrato etéreo (EXE);

  • Caracteres estimados
    • – Digestibilidade in vitro da MS (DIVMS)

  • DIVMS = 88,9 – (0,779 x FDA)
    • – Digestibilidade da fibra em detergente neutro (DFDN)

  • DFDN = ((FDN – (100 – DIVMS)) / FDN) x 100
    • – Teor de amido

MATERIAL E MÉTODOS

  • Modelagem matemática
    • – Modelo Milk 2006 (SHAVER; LAUER, 2006)

MATERIAL E MÉTODOS

  • Modelagem matemática
    • – Custos operacionais

  Conservação do solo, plantio, tratos culturais, colheita e pós colheita; Fertilizantes, sementes para plantio, defensivos agrícolas; MS, PMSh, FDN, DFDN, amido, custo da semente.

  • Operações
  • Insumos • Administração
    • – Ajuste de qualidade

  • Característica da silagem
  • Preço do leite

MATERIAL E MÉTODOS

  • Análise de variância
    • – SAS (SAS, 1996)
    • – Características apresentaram significância → Student Newman Keuls (SNK) a 5%
    • – Características apresentaram diferença → Médias comparadas pela formação de contrastes (Scheffeé)

    >Bases genéticas
  • Textura do grão

  RESULTADOS E DISCUSSÃO ENSAIO SUL, CICLO SUPER-PRECOCE (SSP)

  • Parâmetros ideais
    • – pH < 4,6
    • – MS – 28 a 35,10%
    • – MM – 4,30%
    • – PB – 6 a 9%
    • – FDN – 45%
    • – FDA – 28,10 a 30%
    • – EXE – 3,2%

  (CRUZ et al., 2001; NRC, 2001)

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • Número de dias para o florescimento (FLOR, dias); estatura de planta (EP, m); estatura de espiga (EE, m); diâmetro de colmo (DC, cm); comprimento de espiga (CE, cm); diâmetro de espiga (DE, cm); número de fileiras de grão na espiga (NF); número de grãos por fileira na espiga (NGF); massa da espiga (PE, g). “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.
    • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).

  • Porcentagem de matéria seca do colmo (PMSC, %), porcentagem de matéria seca de folhas (PMSF, %), porcentagem de matéria seca da espiga (PMSE, %); porcentagem de matéria seca da silagem triturada (PMSS, %); partição de matéria seca do colmo (PAMSC, %), partição de matéria seca de folhas (PAMSF, %); partição de matéria seca de espigas (PAMSE, %); produção de matéria seca por hectare
    • 1 (PMSh, t ha ).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • 1
      • Produção de grão (PG, t ha ); massa de 100 grão ajustada para 13% de umidade (MCG, g); número

    • 1

  de plantas por hectare (NP (1000 ha )), número de plantas quebradas e acamadas por hectare (NPQA

  • 1

  (1000 ha )), número de plantas colhidas por hectare

  • 1

  para fabricação da silagem (NPCPS (1000 ha )),

  • 1 número de espigas por hectare (NE (1000 ha )).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • Nutrientes digestíveis totais (NDT, %); energia líquida de lactação (ELL, Mcal/kg MS); produção de leite por tonelada de matéria seca (PLTMS, kg de leite/ton MS); produção de leite por hectare (PLh, kg de
      • 1 leite ha ).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • Custo total operacional para produção de silagem por
      • 1

  hectare (CTOh, R$ ha ); custo total operacional para produção de silagem por tonelada de matéria seca

  • 1

  (CTOMS, R$ ton MS ); custo total operacional para produção de silagem por tonelada de matéria seca ajustado para qualidade nutricional da silagem

  • 1 (CTOMSA, R$ ton MS ).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  CONCLUSÕES ENSAIO SUL, CICLO SUPER-PRECOCE (SSP)

  • Não ocorreu diferença significativa entre os genótipos para as características bromatológicas;
  • De forma que, somente as características agronômicas: EP, EE, DC, CE, DE, NF, PAMSF, PG e MCG, apresentaram diferença significativa;
  • Assim, para a escolha do genótipo a se utilizar, pode-se levar em consideração os parâmetros produtivos e econômicos, destacando-se:
    • – Genótipo AIGS 102 com a maior PLTMS (1.072,13 kg de leite/ton MS);

      • 1

  );

  • – Genótipo 2B512Hx com a maior PLh (42.599,18 kg de leite ha
    • 1

  )

  • – Genótipos AL Piratininga e AL2007A (R$ 1.233,04 e R$ 1.180,63 ha com os menores CTOh; ) com o menor CTOMS.
  • – Genótipo AL Piratininga (R$ 63,51 ton MS

  RESULTADOS E DISCUSSÃO ENSAIO SUL, CICLO PRECOCE-NORMAL (SPN)

  • Parâmetros ideais
    • – pH < 4,6
    • – MS – 28 a 35,10%
    • – MM – 4,30%
    • – PB – 6 a 9%
    • – FDN – 45%
    • – FDA – 28,10 a 30%
    • – EXE – 3,2%

  (CRUZ et al., 2001; NRC, 2001)

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • Número de dias para o florescimento (FLOR, dias); estatura de planta (EP, m); estatura de espiga (EE, m); diâmetro de colmo (DC, cm); comprimento de espiga (CE, cm); diâmetro de espiga (DE, cm); número de fileiras de grão na espiga (NF); número de grãos por fileira na espiga (NGF); massa da espiga (PE, g). “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.
    • Porcentagem de matéria seca do colmo (PMSC, %); porcentagem de matéria seca de folhas (PMSF, %), porcentagem de matéria seca da espiga (PMSE, %); porcentagem de matéria seca da silagem triturada (PMSS, %); partição de matéria seca do colmo (PAMSC, %); partição de matéria seca de folhas (PAMSF, %); partição de matéria seca de espigas (PAMSE, %); produção de matéria seca por hectare

  • 1 (PMSh, t ha ).
  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).

  • 1
    • Produção de grão (PG, t ha ); massa de 100 grãos ajustada para 13% de umidade (MCG, g);

  • 1

  número de plantas por hectare (NP (1000 ha )); número de plantas quebradas e acamadas por

  • -1

  hectare (NPQA (1000 ha )); número de plantas colhidas por hectare para fabricação da silagem

  • 1

  (NPCPS (1000 ha )); número de espigas por

  • 1 hectare (NE (1000 ha )).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • Nutrientes digestíveis totais (NDT, %); energia líquida de lactação (ELL, Mcal/kg MS); produção de leite por tonelada de matéria seca (PLTMS, kg de leite/ton MS); produção de
      • 1 leite por hectare (PLh, kg de leite ha ).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de

  • probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • Custo total operacional para produção de silagem por
      • 1

  hectare (CTOh, R$ ha ); custo total operacional para produção de silagem por tonelada de matéria seca

  • 1

  (CTOMS, R$ ton MS ); custo total operacional para produção de silagem por tonelada de matéria seca ajustado para qualidade nutricional da silagem

  • 1 (CTOMSA, R$ ton MS ).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  CONCLUSÕES ENSAIO SUL, CICLO PRECOCE-NORMAL (SPN)

  • Não se observou diferença significativa para as características bromatológicas;
  • A diferença significativa somente foi verificada para as características agronômicas: EE, DC, NF, PG, MCG e NPCPS;
  • Nesse caso, a escolha do genótipo a se utilizar para produção silageira na

    atividade leiteira, deve-se levar em consideração os parâmetros produtivos e

    econômicos, destacando-se:
    • – Genótipo Dx 809 maior PLTMS (916,43 kg de leite/ton MS);
    • – Genótipo CD 384Hx maior PLh (34.468,98 kg de leite ha
      • 1

  );

  • – Genótipos AL Bandeirante e AL Avaré menor CTOh (R$ 1.157,80 e 1.178,49 ha
    • 1

  , respectivamente);

  • 1

  ) e menor CTOMSA (R$ 115,70 ton MS

  • – Genótipo AL Avaré novamente pelo menor CTOMS (R$ 80,85 ton MS
    • 1 ).

  

RESULTADOS E DISCUSSÃO

ENSAIO CENTRO, CICLO SUPER-PRECOCE

(CSP)

  • Parâmetros ideais
    • – pH < 4,6
    • – MS – 28 a 35,10%
    • – MM – 4,30%
    • – PB – 6 a 9%
    • – FDN – 45%
    • – FDA – 28,10 a 30%
    • – EXE – 3,2%

  (CRUZ et al., 2001; NRC, 2001)

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • Número de dias para o florescimento (FLOR, dias); estatura de planta (EP, m); estatura de espiga (EE, m); diâmetro de colmo (DC, cm); comprimento de espiga (CE, cm); diâmetro de espiga (DE, cm); número de fileiras de grão na espiga (NF); número de grãos por fileira na espiga (NGF); massa da espiga (PE, g). “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.
    • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).

  • Porcentagem de matéria seca do colmo (PMSC, %); porcentagem de matéria seca de folhas (PMSF, %), porcentagem de matéria seca da espiga (PMSE, %); porcentagem de matéria seca da silagem triturada (PMSS, %); partição de matéria seca do colmo (PAMSC, %); partição de matéria seca de folhas (PAMSF, %); partição de matéria seca de espigas (PAMSE, %); produção de matéria seca por hectare
    • 1 (PMSh, t ha ).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • 1
      • Produção de grão (PG, t ha ); massa de 100 grãos ajustada para 13% de umidade (MCG, g); número de plantas por

    • 1

  hectare (NP (1000 ha )); número de plantas quebradas e acamadas por

  • 1

  hectare (NPQA (1000 ha )); número de plantas colhidas por hectare para

  • fabricação da silagem (NPCPS (1000 ha

  1

  )); número de espigas por hectare (NE

  • 1 (1000 ha )).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • Nutrientes digestíveis totais (NDT, %); energia líquida de lactação (ELL, Mcal/kg MS); produção de leite por tonelada de matéria seca (PLTMS, kg de leite/ton MS); produção de leite por hectare (PLh, kg de
      • 1 leite ha ).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  • Médias não seguidas pela mesma letra diferem a 5% de probabilidade de erro pelo teste Student Newman Keuls (SNK).
    • Custo total operacional para produção de
      • 1

  silagem por hectare (CTOh, R$ ha ); custo total operacional para produção de silagem por

  • 1

  tonelada de matéria seca (CTOMS, R$ ton MS ); custo total operacional para produção de silagem por tonelada de matéria seca ajustado para qualidade nutricional da silagem (CTOMSA, R$

  • 1 ton MS ).

  “-“ Hífen entre as letras indica continuidade alfabética.

  

CONCLUSÕES

ENSAIO CENTRO, CICLO SUPER-PRECOCE

(CSP)

  • Não se observou diferença significativa entre os genótipos avaliados para as características bromatológicas, exceto para o pH e para a FDA;
  • Oorreu diferença significativa para as características agronômicas: DE, NF, PMSS, PAMSC, PAMSE, PMSh, PG, MCG, NPQA e NPCPS;
  • Para as características produtivas, verificou-se diferença significativa para a ELL e para a PLTMS.
  • Quanto as características de custo operacional, a significância foi verificada apenas para o CTOh.
  • Visando genótipos com melhor qualidade nutricional e menor custo operacional para o produtor, recomenda-se:
    • – Genótipo AIGD 276 – menor teor de FDA presente na MS (21,20%);
    • – Genótipo
      • 1

  2B433Hx

  ) e também maior PG (11,87 t ha

  • – maior PMSh (20,48 t ha
    • 1

  )

  • – Genótipos AL Piratininga e AL2007A – menores CTOh (R$ 1.141,77

    e 1.124,89 ha
    • 1 respectivamente).

  OBRIGADA PELA ATENđấO!

Documento similar