1817 - Tríades Dohereiner 1862 - Parafuso Telúrico de De Chancourtois 1864 - Lei das Oitavas de Newlands

  Materiais Materiais Materiais Materiais Radioativos Radioativos

  Histórico Histórico 1817 - Tríades Dohereiner 1862 - Parafuso Telúrico de De Chancourtois 1864 - Lei das Oitavas de Newlands 1864 - Lei das Oitavas de Newlands 1869 - D. F. Mendeleiev: - ordem crescente de massa atômica - propriedades químicas semelhantes - Te e I ;

  Histórico Histórico 1913 - Lei da Periodicidade de Moseley: - ordem crescente de Z

  Lei Periódica Lei Periódica "As propriedades físicas e químicas dos elementos, são funções periódicas de seus números atômicos". Na tabela, os elementos estão arranjados horizontalmente, em seqüência numérica, de acordo horizontalmente, em seqüência numérica, de acordo com seus números atômicos, resultando o aparecimento de sete linhas horizontais (ou períodos ).

Elementos Químicos Os elementos químicos são representados por letras maiúsculas ou uma letra maiúscula seguida de uma letra minúscula

  Os Símbolos são de origem latina: Português Latim Símbolo Sódio Sódio Natrium Natrium Na Na Na Na Potássio Kalium K K Enxofre Sulphur S S Fósforo Phosphurus P P Ouro Aurum Au Au

Períodos ou Séries Períodos ou Séries São as filas horizontais da tabela periódica. São em número de 7 e indicam o número de níveis ou camadas preenchidas com elétrons. K L M

  1

  2

  3 M N O P Q

  3

  4

  5

  6

  7 P Q

Famílias ou Grupos Famílias ou Grupos São as colunas verticais da Tabela Periódica. Em um Grupo ou Família, encontram-se elementos com

  

propriedades químicas semelhantes. Para os Elementos

Representativos, o nº do Grupo representa o nº de elétrons da

última camada (camada de valência). K L

  1

  2

  1

  2 3 4 5 6 7 8 9 1011 12 13 14 1516 17

  18 M N O P Q

  3

  4

  5

  6

  7 3 4 5 6 7 8 9 1011 12

  a ic ím u

  7

   1

  6

   1

  5

   1

  4

   1

  13

  2

  1

   1 s s

   1 o o p p

   1

   8

   9 ru ru

   6

   7 g g

  a ic $$$$ ím u

  8A #### Q

   7A """"

   6A !!!!

   5A

   4A a a

  3A ic ic n n ô ô

  8 tr tr B le le e e

Metais - Menos eletronegativo

  • Sólidos; exceto o Hg (25°C, 1atm);
  • Brilho característico;
  • - Dúcteis (fios); - Maleáveis (lâminas); - São bons condutores de calor e eletricidade.

Ametais

  • Eletronegativos;
  • Quebradiços;
  • Opacos;
  • Formam Compostos Covalentes (moleculares);
  • - São Péssimos Condutores de Calor e Eletricidade (exceção para o Carbono).

Gases Nobres

  • Foram Moléculas Monoatômicas;
  • São Inertes mas podem fazer ligações apesar da

  estabilidade (em condições especiais); - São: He, Ne, Ar, Xe, Kr, Rn.

  Resumo Metais Metais Ametais Ametais Gases nobres Gases nobres

Notas: 1 - São elementos líquidos: Hg e Br; 2 - São Gases: He, Ne, Ar, Kr, Xe, Rn, Cl, N, O, F, H; 3 - Os demais são sólidos; 4 - Chamam-se cisurânicos os elementos artificiais de Z

  

menor que 92 (urânio): Astato (At); Tecnécio (Tc); Promécio

(Pm)

5 - Chamam-se 5 - Chamam-se transurânicos transurânicos os elementos artificiais de Z os elementos artificiais de Z

maior que 92: são todos artificiais;

6 - Elementos radioativos: Do bismuto ( Bi) em diante,

  83

todos os elementos conhecidos são naturalmente

radioativos.

  Propriedades periódicas Eletronegatividade Eletropositividade Potencial de ionização Potencial de ionização Raio atômico Eletroafinidade Densidade

  B C B C N O N O F F H H Eletronegatividade Eletronegatividade É a capacidade que um átomo tem de atrair elétrons (ametais). Varia da esquerda para a direita e de baixo para cima, excluindo-se os gases nobres. B C B C N O N O F F Cl Cl Br Br

  II Fr Fr

  Caráter Metálico: Caráter Metálico: É a capacidade que um átomo tem de perder elétrons (metais). Varia da direita para a esquerda e de cima para baixo excluindo-se os gases nobres. H H H H Li Li F F Na Na K K Rb Rb Cs Cs Fr Fr

Potencial de Ionização Potencial de Ionização É a energia necessária para arrancar um elétron de

  

um átomo, no estado gasoso, transformando-o em um íon

gasoso. Varia como a eletronegatividade e inclui os gases

nobres. A segunda ionização requer maior energia que a

primeira e, assim, sucessivamente.

  He He H H Ne Ne Ne Ne Ar Ar Kr Kr Xe Xe Rn Rn Fr Fr

  Raio Atômico Raio Atômico É a distância que vai do núcleo do átomo até o seu elétron mais externo. Inclui os gases nobres. He He He He H H H H Li Li Na Na K K Rb Rb Cs Cs Fr Fr

  

elétron (Afinidade Eletrônica). Varia como o Potencial de

Ionização. Não inclui os Gases Nobres.

H H Eletroafinidade Eletroafinidade É a energia liberada quando um átomo recebe um

  Fr Fr

  É a razão entre a massa e o volume do elemento. Varia das extremidades para o centro e de cima para baixo. Densidade Densidade Os Ir Os Ir

He He H H Resumo das propriedades Resumo das propriedades Eletronegatividade; Potencial de ionização; Eletronegatividade; Potencial de ionização; Eletroafinidade. Eletroafinidade. Eletropositividade; Raio atômico Eletropositividade; Raio atômico He He Ne Ne Ar Ar Kr Kr Xe Xe Rn Rn H H

  B C B C N O F N O F Cl Cl Br Br

  II Li Li Na Na K K Rb Rb Cs Cs Fr Fr

  Tabela de Prova Tabela de Prova

  Metais Radioativos É um metal radioativo, cinza prateado que se oxida lentamente em presença da umidade do ar. Foi o primeiro elemento a ser produzido artificialmente; é um metal de transição.

  

TECNÉSIO – “Significa artificial”

é um metal de transição.

  A sua descoberta foi atribuída a Carlos Perrier e Emilio Segre que, em 1939, obtiveram o elemento utilizando o cicloton, bombardeando uma amostra de molibidênio (Mo) com isótopos pesados de hidrogênio (deutério), em Berkeley, Califórnia.

  Ponto de Fusão: 2430,0 K Metais Radioativos É um dos metais mais macios, com uma densidade próxima à metade da densidade da água. É o primeiro elemento do grupo dos metais alcalinos, difere significativamente dos outros elementos do seu grupo. O lítio é sólido, de cor prateada, tornando-se cinza

  LÍTIO – “Significa Pedra” O lítio é sólido, de cor prateada, tornando-se cinza quando exposto ao ar; não ocorre livre na natureza, devido à sua alta reatividade. À partir da II guerra mundial, a produção de lítio e de seus compostos cresceu consideravelmente devido às suas variadas aplicações.

  O lítio foi descoberto por Johan August em 1817, durante a análise do mineral petalita - LiAl(Si2O5)2.

  Ponto de Fusão: 453,69 K Metais Radioativos BERÍLIO – “Significa Beryl”

  O berílio foi descoberto em 1797 pelo cientista Nicolas

Louis Vanguelin em Paris no mineral berilo

(Al2Be3Si6O18). (Al2Be3Si6O18).

Apresenta-se no estado sólido na temperatura de

298 K e possui coloração cinza escuro, pertence ao

grupo dos metais alcalinos terrosoos, o grupo 2 da

tabela periódica. É encontrado na natureza em

forma de minerais.

  Ponto de Fusão: 1560,0 K Metais Radioativos

  Os compostos de magnésio durante anos eram utilizados antes mesmo do elemento ser descoberto.

  O magnésio pertence ao grupo dos metais alcalinos terrosos; é um metal prateado, apresentando brilho no seu estado natural. Em contato com o ar, apresenta-se levemente acinzentado, devido a formação de uma camada fina de

  MAGNÉSIO – “Significa Magnesia: cidade da ásia menor

  acinzentado, devido a formação de uma camada fina de óxido de magnésio (MgO), na sua superfície metálica. Foi descoberto e reconhecido como elemento em 1755, na

  Escócia. Em 1812, Sir Davy deu-lhe o nome magnésio. É um dos elementos mais abundantes na crosta terrestre. Não ocorre livre na natureza, mas só na forma combinada em grandes depósitos minerais

  Ponto de Fusão: 923,0 K Metais Radioativos

  O rubídio é um metal macio, prateado, é o segundo elemento alcalino mais eletropositivo, queima espontâneamente em presença de ar e reage violentamente com a água, liberando hidrogênio. Pode se tornar líquido em temperaturas acima de

  313 K.

  RUBÍDIO – Significa Vermelho Escuro 313 K.

  Foi descoberto em 1861 em Heidelberg na Alemanha, por Robert Bunsen e Gustav Kirchoff, analisando espectroscopicamente uma amostra de lepidolita, aparecendo sob forma de impureza no mineral. rubídio é um elemento raro e ocorre quase sempre com o césio, como traços de óxido de rubídio em diversos minerais.

  Ponto de Fusão: 312,46 K

Metais Radioativos CÉSIO - Vem do latim "caesius" que significa céu azul

  O césio (Cs), foi descoberto em 1860 por Robert W. Bunsen e

Gustav Kirchoff por espectroscopia através das suas linhas

espectrais azuis. Ele é sólido prateado e macio, sendo o

mais eletropositivo do grupo dos metais alcalinos. O Césio

se torna líquido próximo à temperatura ambiente (298K).

  

Ele não ocorre livre na natureza, apenas sob forma Ele não ocorre livre na natureza, apenas sob forma

combinada com outros elementos. Ele pode ser isolado por

eletrólise do cianeto de césio (CsCN) fundido ou obtido na

forma gasosa com elevada pureza, através da

decomposição térmica da azida de césio (CsN3). Uma das

principais fontes de césio está localizada no lago Bernic

polucita

em Manitoba com 300.000 toneladas de , com 20%

lepidolita

de césio. Também ocorre como traço na .

  Ponto de Fusão: 301,59 K Metais Radioativos

  O bário é um elemento metálico, sólido em temperatura ambiente, macio e prateado. Pertence ao grupo dos metais alcalinos terrosos. Em 1774, o pesquisador Scheele identificou o mineral barita

  (BaSO4) numa amostra de cal (óxido de cálcio, CaO). O bário foi isolado em 1808, por Sir Humphrey Davy utilizando o

  BÁRIO – Vem da palavra barita

  foi isolado em 1808, por Sir Humphrey Davy utilizando o método de eletrólise numa amostra de barita (BaSO4) fundida. O Bário não é encontrado livre na natureza, apenas em reservas minerais, combinado com outras espécies químicas, principalmente sulfatos (SO4 2-) e carbonatos (CO3 2), podendo ser obtido puro pela reação de eletrólise do cloreto de bário (BaCl2).

  Ponto de Fusão: 1000 K Metais Radioativos Em 1939, Marguerite Perey (do Instituto Curie em Paris), estudando o decaimento radioativo do actínio-227, encontrou evidências do elemento-87, que chamou de transmutação nuclear

  (transformação de um elemento em outro).

  FRÂNCIO – Homenagem a França que chamou de transmutação nuclear (transformação de um elemento em outro).

  O frâncio ocorre como resultado da desintegração do actínio (Ac). O frâncio é encontrado em minerais de urânio (U) e pode ser obtido por bombardeamento de tório (Th) com prótons. É o mais instável.

  Ponto de Fusão: 300 k Metais Radioativos O rádio é um elemento radioativo, descoberto e isolado pelo casal Curie. Sua radioatividade natural é mais elevada do que a do urânio (U). É um metal brilhante, branco assim que preparado, que vai escurecendo em exposição ao ar.

  Seus sais exibem luminescência. O rádio é o sexto RÁDIO - Palavra do Latim "radius" que significa "raio" que preparado, que vai escurecendo em exposição ao ar.

  Seus sais exibem luminescência. O rádio é o sexto elemento mais raro na natureza. Ocorre em todos os minérios de urânio (U), como a pitchblenda (U3O8). Pode ser extraído nos resíduos do processamento do urânio.

  Grandes depósitos de urânio estão localizados no Novo México, em Ontário, em Utah e na Austrália.

  Ponto de Fusão: 973,2 k

Metais Radioativos ESTRÔNCIO - Homenagem à vila escocesa "Strontian"

  É sólido (à 298 K) e prateado. Quando entra em contato com o ar, reage formando uma película amarelada na superfície, o óxido de estrôncio (SrO). Em 1808, Sir Humphrey Davy obteve pequenas quantidades de estrôncio metálico por aquecimento da quantidades de estrôncio metálico por aquecimento da amálgama formada pela eletrólise de uma mistura de cloreto de estrôncio (SrCl2) e óxido de mercúrio (HgO).

  É considerado um metal de alta tecnologia, componente essencial na composição do vidro frontal dos tubos de

  Não ocorre livre na natureza, imagens para TV em cores. apenas em forma combinada.

  Ponto de Fusão: 1050 k Metais Radioativos O Titânio é um metal prateado, dúctil, quebradiço, resistente a corrosão e inflamável. O titânio é um metal de transição. Ele foi descoberto em 1791, por William Gregor, um padre inglês e químico amador. Gregor, analisou uma amostra de areia preta da região

  TITÂNIO – Filhos da terra Gregor, analisou uma amostra de areia preta da região de Manaccan Valley em Cornwall (ilmenita - FeTiO3), descobriu a existência de um novo elemento. Quatro anos depois, o químico alemão Klaproth redescobriu o elemento no minério de rutilo (TiO2). Ele deu o nome de titânio, da mitologia grega "titans"(filhos da terra).

  Ocorre na forma combinada em minérios, não sendo encontrado livre na crosta terrestre.

  Ponto de Fusão: 1941,0 K Metais Radioativos O zircônio é um metal azul escuro, refratário, com elevada resistência à tração, alta dureza e resistente a corrosão.

  O zircônio é um metal de transição. Embora formas de zircônio fossem conhecidas desde os tempos bíblicos, o químico alemão Klaproth só isolou o

  ZIRCÔNIO - Zircônia tempos bíblicos, o químico alemão Klaproth só isolou o óxido do elemento zircônio em 1789. O químico Werner chamou-o de "Zircon"(silex circonius) e klaproth, de Zirkonertz(zirconia). O metal impuro foi isolado por

  Berzelius mais tarde, em 1824. O zircônio ocorre na litosfera, (aproximadamente 0,2%) na forma do minério zircão - ZrSiO4 ou baddeleyíta -

  ZrO2 , os mais importantes. Utilizado nos reatores.

  Ponto de Fusão: 2128,0 K Metais Radioativos RUTERFÓDIO - Rutherford

  O Ruterfórdio é um elemento prateado, provavelmente metálico, produzido artificialmente em pequenas quantidades. Em 1964, G.N. Flerov, na Rússia, detectaram um isótopo quando bombardearam plutônio-242 com íons neônio. Eles sugeriram que este isótopo teria uma meia-vida de 0,3 segundos e poderia ser o elemento 260-104, produzido por uma reação poderia ser o elemento 260-104, produzido por uma reação nuclear.

  242Pu + 22Ne 260-104 + 4n Al Ghiorso propôs que o emento 104 deveria ser chamado de rutherfórdio (Ernest Rutherford foi quem primeiro explicou a natureza da radioatividade e ganhou o Prêmio Nobel em química no ano de 1908).

  Ponto de Fusão: Não conhecido Metais Radioativos É um metal prateado, duro, e é oxidado em temperaturas elevadas. Ele é um metal de transição. A palavra Molibdênio deriva do grego "molybdos" que significa chumbo. O conceito foi usado

  MOLIBDÊNIO – Significa chumbo em grego A palavra Molibdênio deriva do grego "molybdos" que significa chumbo. O conceito foi usado amplamente no século XVIII para designar substâncias semelhantes ao chumbo em aparência. Utilizado em Filamento em aplicações eletrônicas e elétricas; Catalisador no refino do petróleo; Aplicações em energia nuclear.

  Ponto de Fusão: 2896 K

Metais Radioativos COBALTO – Espírito maligno

  É um metal de cor cinza brilhante, dúctil, um tanto maleável, estável ao ar e a água em temperatura ambiente. Apresenta propriedades semelhantes às do níquel, com o qual se associa geralmente. Ele é um metal de transição. Há muitos séculos passados, certos minerais contendo cobalto combinado com arsênio (As) e ênxofre (S) eram cobalto combinado com arsênio (As) e ênxofre (S) eram conhecidos. Na época, não tinham nenhuma aplicação. Em 1735 foi pesquisado pelo sueco Georg Brandt, que em 1742, que isolou um novo metal na forma impura e o chamou de "cobalto". Os estudos da química dos compostos de cobalto, teve início com as pesquisas de Thènard em 1802 e por Proust em

  1806. principal fonte de cobalto são os minérios de cobre, níquel, prata.

  Ponto de Fusão: 1768,0 K Metais Radioativos

  IRÍDIO - origem vem do grego "iris" que significa arco-iris O Irídio é um metal brilhante, branco, duro e maleável. É o metal mais resistente à corrosão conhecido. É um dos seis metais que formam o chamado grupo da Platina (rutênio, Ru; ródio, Rh; chamado grupo da Platina (rutênio, Ru; ródio, Rh; paládio, Pd; ósmio, Os; irídio, Ir e platina, Pt), é um metal de transição. Depósitos contendo irídio podem ser encontrados na Rússia, Estados Unidos, Canadá, Colômbia e Japão.

  Ponto de Fusão: 1768,0 K Metais Radioativos É um metal branco-acinzentado brilhante, dúctil e macio. É conhecido desde a antiguidade e considerado como o metal mais antigo. Raramente ocorre livre na natureza. É mais comum encontrá-lo em minerais, como a galena

  (PbS), seu principal mineral, de onde é extraído pela queima ao ar, transformando o mineral em óxido de Chumbo - latim "plumbum" que significa prata líquida

  (PbS), seu principal mineral, de onde é extraído pela queima ao ar, transformando o mineral em óxido de chumbo (PbO), que por sua vez, é reduzido pelo carbono em alta temperatura, formando o chumbo metálico (Pb), com liberação de monóxido de carbono (CO). O chumbo ocorre livre na natureza, mas é um elemento raro. Ele é obtido principalmente da galena (PbS), principal minério de chumbo, que ocorre próxima ao solo.

  Ponto de Fusão: 600,61 K

  “NA NATUREZA NADA SE CRIA, NADA SE PERDE, TUDO SE TRANSFORMA” PERDE, TUDO SE TRANSFORMA” (Antoine Lavoisier)

Documento similar